Faro resolve abastecimento de água e saneamento

Faro resolve abastecimento de água e saneamento

377
PARTILHE
Carla Pinto de Magalhães
Carla Pinto de Magalhães (à direita na foto) apresentou as obras da FAGAR

Com dois grandes investimentos a decorrer neste momento em Faro, a Fagar – empresa responsável pelo abastecimento de água e saneamento no concelho – quer acabar com as deficiências que ainda se verificam nestas duas áreas, em particular nas zonas urbanas dos arredores da capital da região.

O objectivo é que, em Outubro de 2013, o concelho tenha uma cobertura das redes públicas de abastecimento de água e saneamento básico de 99 e 94%, respectivamente.

São mais de nove milhões de euros investidos nestas duas obras que, de acordo com Macário Correia, presidente da Câmara local, colocam Faro “dentro dos padrões europeus nesta matéria”.

Para Carla Pinto de Magalhães, presidente do Conselho de Administração da Fagar, em declarações ao POSTAL, com estas obras “fecha-se o ciclo de investimentos na construção da rede pública de água e saneamento e responde-se cabalmente à larga maioria das situações em que as populações não se encontravam cobertas por estes serviços, nomeadamente porque à época da constituição dos aglomerados urbanos e das construção das casas não era exigida a ligação à rede pública por esta não se encontrar construída”.

- Pub -

A partir deste momento a situação é diferente, refere a responsável pela empresa municipal, “os novos loteamentos e construções estão obrigados a ligar-se à rede pública já construída” e os custos da infra-estruturação destas ligações recaí já sobre os donos das obras e loteamentos.

As zonas em obras
Já em execução está a obra de extensão das redes de água e saneamento nas zonas de Caliços, Pé do Outeiro, Chaveca, Barros, Gional, Vale de El-Rei, Pereiro, Brejo, Bela-Curral, Lagos e Relvas, Bordeira, Telheiro, Agostos e Quinta das Raposeiras, com prazo de conclusão marcado para Abril, num investimento de mais de 6,5 milhões de euros comparticipados pelo Quadro de Referencia Estratégico Nacional (QREN).

Na passada sexta-feira arrancou a obra que levará água em qualidade e quantidade suficientes e que escoará os esgotos urbanos das zonas de Goldra de Baixo, Cerro Manuel Viegas, Azinhal, Amendoeira, Ferradeira, Galvana, Canada, Jardina, Besouro, Meloal, Monte Xerife e Caminho dos Vasos. Um projecto que se prevê venha a custar mais de 2,5 milhões de euros e que a Fagar diz “estará pronto em Outubro”.

Quilómetros de condutas
As duas obras representam, na área de abastecimento de água, mais de 117 quilómetros de condutas de distribuição, e mais de três quilómetros de condutas elevatórias, a que se juntam dois novos reservatórios e duas novas centrais elevatórias, além de mais de dois mil novos ramais.

Já no saneamento, Faro passa a contar com mais cerca de 66 quilómetros de colectores, 420 metros de condutas elevatórias, uma nova central elevatória e 1058 novos ramais.

Investimentos futuros
Com o investimento ainda centrado este ano nas infra-estruturas, Carla Pinto de Magalhães, avançou ao POSTAL que os investimentos seguintes se centrarão na requalificação das redes de água e saneamento mais antigas do concelho e da cidade, “em particular na zona antiga da cidade”.

Com estes investimentos a Fagar quer reduzir as perdas de água na rede que se cifram, refere a responsável, “em cerca de 16,5%” e separar as redes de águas residuais (esgotos) e pluviais (água da chuva) para obter economias substanciais nos encargos da empresa com o tratamento de esgotos.

Facebook Comments

Comentários no Facebook