Ostras tavirenses mostram-se ao mundo

Ostras tavirenses mostram-se ao mundo

435
PARTILHE

 

Ostras da Ria Formosa
Ostras da Ria Formosa ganham fama fora do país

A Ria Formosa tem sido ao longo do tempo um paraíso na produção de ostras e representa uma importante zona de produção nacional deste produto que faz as delícias a tanta gente.

O POSTAL foi ao coração da ria, no passado dia 6 de Março, conhecer a empresa familiar Moinho dos Ilhéus, uma recente, mas promissora empresa que se dedica à criação desta iguaria com sabor a mar.

O dia foi marcado por um evento organizado pela empresa, em colaboração com a Nutrifresco, que reuniu chefes de cozinha e críticos culinários portugueses, mas sobretudo estrangeiros, para conhecer a exploração e os vários estágios da criação de ostras, podendo no final da tarde atestar a qualidade das mesmas na prova de degustação.
A Moinho dos Ilhéus dedica-se à criação de ostras há pouco tempo, mas foi já convidada como representante nacional no 1.º Congresso Mundial de Ostricultura, realizado na cidade francesa de Arcachon onde, segundo Cristina Simões, uma das responsáveis pela empresa, revelou ao POSTAL, “os especialistas ficaram muito impressionados tanto com o grau de maturação, como também com a qualidade das [nossas] ostras ”.

- Pub -

A representante da empresa explica que o local específico da reserva natural da Ria Formosa onde funciona a Moinho dos Ilhéus, tem como mais-valias “um ecossistema onde abundam entradas e saídas de cursos de água e alguns furos naturais que melhoram a recirculação e renovação da água”.

Quanto à qualidade da água, a empresária sublinha que ali se fazem “análises mensais” e que o objectivo passa por garantir “o nível mais alto no que à ausência de bactérias microbiológicas diz respeito”, o ambicionado estatuto sanitário “A”.

Também Maria Simões, sócia e fundadora da empresa em 2010, comprovou qualidade do local para este tipo de actividade, realçando ser “impossível comparar o grau de maturação da ostra aqui produzida em relação ao que acontece em França ou no Reino Unido”.

Maria Simões disse, durante o evento, que a sua aventura nesta área surgiu “como uma paixão” e que pese embora possa ser “a mais recente produtora do país, o feedback tem sido muito gratificante”, sublinhando a importância do evento na promoção de um produto que se quer afirmar no mercado nacional e internacional.

Facebook Comments
PARTILHE
Email: jornalpostal@gmail.com

Comentários no Facebook