Macário prepara-se para pagar 14.500 facturas atrasadas

Macário prepara-se para pagar 14.500 facturas atrasadas

360
PARTILHE

 

Macário Correia
Macário Correia promete ter “algo a dizer” sobre o processo de perda de mandato, quando este terminar

Macário Correia afirma que o Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), instrumento do Governo destinado a emprestar às autarquias dinheiro para saldarem as suas dívidas, está “em fase final de análise no tribunal de contas e, muito em breve, cerca de 14.500 facturas que estão pendentes, referentes a dívidas a fornecedores e trabalhos, vão ser pagas”.

O ainda autarca farense revelou a eminência da aprovação do PAEL em entrevista ao Postal, sublinhando que se trata de “um trabalho complexo, com pessoas a trabalham dia e noite para levar a bom termo o processo”.

O Presidente da Câmara de Faro refere que a actual dívida da autarquia “ronda os 80 milhões de euros” e que “já cortou nas ‘gorduras’ do município mais de quatro milhões de euros”.

- Pub -

Até final do mandato Macário Correia contabiliza em “mais de dez milhões de euros o valor estimado da redução da dívida da autarquia”.

“Este mandato tem sido difícil face à recessão da economia, com uma quebra de receitas muito considerável. De qualquer maneira nós – o executivo liderado por Macário Correia -, desde o início do mandado, temos reduzido a dívida”, refere o autarca.

“Entre 2009 e 2012, conseguimos resolver alguns problemas, reorganizando o funcionamento da autarquia e, apesar das dificuldades, procedemos a reparações e à criação de novas estruturas base na rede de esgotos e água e criamos condições para novos investidores apostarem em Faro, com investimentos turísticos e industriais”, sublinha.

As grandes superficíes
Quanto às grandes superfícies, um tema sempre polémico, foi desdramatizado pelo presidente da Câmara, que não vê nestas estruturas inconvenientes, mas sim mais receita e postos de trabalho para Faro.

Macário Correia adiantou ao Postal que nesta altura não há nenhum projecto do género em fase de licenciamento, embora existam ainda vários espaços para tal. Contudo, Macário Correia manifesta a disponibilidade e interesse em ver instalado na freguesia de Estoi um outlet . “Existe terreno para isso e está em análise prévia um projecto de um investidor”, revela.

O Vale da Amoreira e no Sítio das Figuras, são outros locais que o autarca aponta como disponíveis para erguer projectos que possam dinamizar o emprego e a economia de Faro.

Pavilhão Desportivo Municipal vai abrir portas
Na área das estruturas desportivas Macário Correia anuncia para “dentro de um mês a inauguração do Pavilhão Municipal de Faro”, junto ás piscinas, um projecto com mais de oito anos que tem sofrido vários reveses na obra, incluindo a falência do construtor.

“As obras de acabamento do pavilhão estiveram paradas durante anos, o que levou á degradação de zonas do edifício, vandalizado por várias vezes, aumentando o valor da obra em centenas de milhares de euros”, refere o autarca. “A inauguração prevista no início do verão será feita na medida das verbas atuais da autarquia, mas com a dignidade devida”, remata.

Estádio Algarve, um encargo pesado
Uma das preocupações manifestada pelo actual Presidente da Câmara de Faro é a verba que a autarquia tem de disponibilizar para o Estádio Algarve, em parceria com a Câmara de Loulé, “mais de um milhão de euros”.

“Precisamos de encontrar soluções e actividade para o espaço, nomeadamente na área para que foi criado, o futebol”, diz Macário Correia, que admite que o Farense possa vir a utilizar o recinto, em particular para os treinos, aproveitando o São Luís para os jogos oficiais na próxima época.

O Presidente da Câmara de Faro revela que existe um protocolo com a Federação Portuguesa de Futebol e que a selecção portuguesa irá jogar em Agosto no recinto do Parque das Cidades.

A perda de mandato
No que respeita à polémica da perda de mandato, processo ainda nas mesas dos tribunais, Macário Correia manifesta-se “tranquilo e pronto para aceitar o que vier”.

Quanto às notícias vindas a lume através da imprensa nacional, dando conta de dúvidas dos juízes sobre o processo e recursos Macário foi peremptório, “já aprendi o suficiente para compreender a diferença entre os factos e as notícias e já tenho uma grande dose de resistência e capacidade de análise do que se diz e não farei comentários sobre o assunto”.

Contudo, logo que o processo fique concluído, o autarca promete que “terá algo a dizer e que o fará sem dificuldades por estar de boa consciência”.

Agora “Faço o meu trabalho do dia-a-dia e faço-o com muito gosto num horário muito dilatado. É nisso que aposto desde a madrugada até noite dentro, o resto não faz parte das minhas preocupações,” finalizou o autarca que não quis avançar nada sobre polémicas partidárias relativamente a candidaturas nas próximas eleições e não ventilou qualquer possibilidade de uma recandidatura independente.

Facebook Comments
PARTILHE
Email: jornalpostal@gmail.com

Comentários no Facebook