Águas do Algarve lança concurso para ETAR da Companheira

Águas do Algarve lança concurso para ETAR da Companheira

325
PARTILHE
ETAR em construção
Nova ETAR da Companheira deve ficar pronta no terceiro trimestre de 2016

A Águas do Algarve lançou o concurso para a construção da nova Estação de Águas Residuais (ETAR) da Companheira , em Portimão, com a publicação do concurso público a ter lugar no Diário da República de 27 de Janeiro. A obra já tinha sido publicamente anunciada por Jorge Moreira da Silva, ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, a 30 de Setembro, quando visitou a Comissão de Coordenção e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve).

A obra que tem um período de construção de 720 dias (24 meses), dá como prazo de apresentação das candidaturas ao concurso o mês de Março deste ano e deverá ser adjudicada antes do fim do primeiro semestre de 2014, se forem cumpridos os prazos normais indicados no concurso público. A ser assim, a ETAR deverá ficar concluída durante o terceiro trimestre de 2016.

Ao todo e a preço base de lançamento do procedimento de contratação, a obra está orçada em 12 milhões de euros.

ETAR vai ter tratamento suplementar de efluentes

- Pub -

De acordo com a Declaração de Impacte Ambiental a que o POSTAL teve acesso, a ETAR da Companheira vai ter um sistema de tratamento que permitirá responder melhor aos picos de volume de águas residuais a tratar. O sistema a instalar permitirá uma resposta mais eficiente do equipamento ao aumento de efluentes quando este se verifique, o que torna possível evitar, na grande parte das vezes, a necessidade de descargas de emergência de efluentes não completamente tratados, em especial nas alturas de maior aumento da população servida pela infra-estrutura, ou seja, durante o Verão.

A somar a isto, a ETAR será equipada com tratamento adicional ao secundário até agora oferecido pela actual ETAR que funciona pelo sistema de lagunagem. Assim contará com a remoção de azoto e desinfecção por radiação ultra violeta, o que resultará num efluente final com qualidade muito superior à que hoje oferece a ETAR portimonense em serviço. 

Adeus aos maus cheiros

Ainda no âmbito da nova obra está a preocupação com o mau cheiro que resulta do processo de tratamento de águas residuais. Actualmente a ETAR da companheira é um foco de produção de odores desagradáveis que, em particular no Verão, são especialmente notórios, apesar das medidas de contenção do fenómeno preconizadas pela Águas do Algarve.

A nova ETAR terá em atenção este factor e inclui sistemas que permitem a minoração dos efeitos do tratamento ao nível da produção de cheiros.

Situada a norte da actual ETAR e a sul da ponte da EN 125 sobre o Rio Arade, a nova ETAR da Companheira vai dar resposta aos efluentes resultantes de três concelhos, Monchique, Lagoa e Portimão, abrangendo freguesias de Lagoa e Monchique que até ao momento não estavam no âmbito de tratamento de efluentes da actual ETAR.

Facebook Comments

Comentários no Facebook