Doze salvos da fúria do mar em Quarteira

Doze salvos da fúria do mar em Quarteira

380
PARTILHE
Praia de Quarteira
Doze jovens estrangeiros foram salvos em Quarteira

O chefe do departamento marítimo do sul lançou ontem “um apelo especial para que haja cuidado em todas as actividades junto ao mar”, porque a ondulação pode fazer o mar chegar a zonas onde habitualmente não chega.

As autoridades marítimas socorreram ontem 12 jovens na praia de Quarteira, que se fizeram ao mar apesar da forte ondulação sentida no Algarve, disse o chefe do departamento marítimo do sul.

“Apesar de as condições marítimas no Algarve não serem tão más como na costa oeste, as pessoas devem medir o risco e afastar-se da água. Ainda esta tarde [tarde de segunda-feira] foram retirados 12 adolescentes do mar, em Quarteira, que foram tomar banho apesar da forte ondulação, e um deles quase ficava lá”, advertiu.

Mar provoca estragos em terra

- Pub -

 A forte ondulação marítima que se faz sentir no Algarve provocou também estragos num bar e fez soltar-se um apoio do molhe norte da entrada da marina de Portimão, disse à Lusa o capitão do porto. 

O comandante Santos Pereira disse à Lusa que “a ondulação de cinco a seis metros” fez com que o apoio do molhe norte da marina se partisse e agora as autoridades marítimas estão a tentar fixá-lo novamente, porque as “previsões meteorológicas apontam para a continuação” da ondulação de cinco a seis metros nas próximas horas.

Além do molhe, o mar provocou também estragos num bar da marina, acrescentou, precisando que as barras de Portimão e Lagos estão já fechadas à navegação.

“Apesar de o capitão do porto ter fechado a barra, houve uma embarcação que tentou sair para o mar”, disse, por seu turno, o comandante Malaquias Domingues, chefe do departamento marítimo do sul, acrescentando que este tipo de comportamentos, assim como o dos jovens em Quarteira, “todos não portugueses”, comportam riscos para os quais as “pessoas parecem não estar consciencializadas”. 

O chefe do departamento marítimo do sul lançou “um apelo especial para que haja cuidado em todas as actividades junto ao mar”, porque a ondulação pode fazer o mar chegar a zonas onde habitualmente não chega. 

No sotavento, as barras continuam abertas à navegação, tendo-se apenas registado uma ocorrência ma marginal de Quarteira, onde “uma vaga de ondulação mais forte chegou a um café situado na praça do Mar, mas sem provocar estragos”, disse o comandante Malaquias Domingues.

 (Agência LUSA)

 

Facebook Comments

Comentários no Facebook