Fim da manif em Lisboa

Fim da manif em Lisboa

310
PARTILHE
Assembleia de República
Assembleia da República foi palco da maior manifestação de membros das forças de segurança até hoje no país

A manifestação das forças de segurança que teve hoje lugar em Lisboa, frente à Assembleia da República, está a terminar e a larga maioria dos manifestantes já desmobilizou.

De acordo com as declarações prestadas pelo oficial de ligação da PSP com os órgãos de comunicação social à RTP informação, em directo, dez pessoas foram assistidas pelo INEM durante o protesto frente ao Parlamento. “Dez pessoas foram assistidas pelo INEM, entre as quais seis membros das forças de segurança” que garantiam o perímetro de segurança da Assembleia da República. A mesma fonte referiu que também ficaram feridos “quatro manifestantes dos quais dois tiveram de receber tratamento hospitalar”.

De acordo com a mesma fonte “houve um enorme esforço da PSP na preparação desta operação esta semana”, acrescentando que “a força utilizada foi proporcional ao necessário”.

Adiantada foi ainda a confirmação da identificação de dois indivíduos durante o protesto por “desacatos”.

- Pub -

Recorde-se que a manifestação, de acordo com os dados avançados pelos canais de televisão que fizeram a cobertura em directo do protesto, juntou mais de dez mil agentes das forças de segurança, PSP, GNR, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Guarda Prisional e Polícia Marítima.

A manifestação iniciou-se junto ao Parque Eduardo VII e percorreu até ao Parlamento as ruas Brancaamp e de São bento, com passagem pelo Largo do RAto. Desta vez o número de manifestantes foi muito superior ao da manifestação realizada em Novembro de 2013, aquela em que se verificou a invasão total das escadarias da Assembleia da República.

No protesto de hoje os manifestantes apenas ocuparam as escadarias da Assembleia da República até meio e o braço de força entre os manifestantes e os polícias que garantiam a ordem foi permanente.

Durante o protesto foram disparados petardos e por várias vezes se ouviu a palavra de ordem “invasão”, por entre o entoar do hino nacional.

A segurança do Parlamento foi garantida pelo Corpo de Intervenção da PSP, reforçado pouco depois da chegada do grosso da manifestação à Assembleia da República, pela Unidade de Intervenção da GNR. Nas escadarias da Assembleia estiveram mais de uma centena de agentes das unidades de intervenção.

Os reflexos do protesto de hoje ainda terão de ser avaliados mas, na última manifestação, emNovembro, o director nacional da PSP apresentou a sua demissão ao Ministro Miguel Macedo, titular da pasta da Administração Interna.

A presidente da Assembleia da República recebeu os representantes dos manifestantes  durante o protesto. A titular do órgão de soberania não prestou declarações aos órgãos de comunicação social depois da reunião onde lhe foi entregue um memorando com as reivindicações dos agentes das forças de segurança.

Neste momento as forças de segurança que policiavam a manifestação estão em fase de desmobilização.

Facebook Comments

Comentários no Facebook