Huelva sem aeroporto ou AVE à vista

Huelva sem aeroporto ou AVE à vista

353
PARTILHE
Alta velocidade entre Sevilha e Huelva está em banho-maria
Alta velocidade entre Sevilha e Huelva está em banho-maria

O Governo central espanhol deixou de fora do plano nacional de investimentos em infra-estruturas para período de 2012 a 2024, (Pitvi – Plan de Infraestructuras, Transporte y Vivienda), na sua última versão, algumas das obras mais reclamadas pelas populações da província de Huelva.

Entre as obras não contempladas estão o aeroporto de Huelva e a extensão da linha de alta velocidade (AVE) entre Sevilha e a capital da província, a cidade de Huelva.

Na consulta do documento, a linha de alta velocidade “Sevilha – Huelva – Fronteira portuguesa” não contempla nenhum investimento por parte do Governo espanhol e na área aeroportuária os investimentos do Governo de Madrid cingem-se a obras na melhoria dos acessos a aeroportos espanhóis já construídos, não havendo qualquer menção de investimento em infra-estruturas aeroportuárias na área da província sudeste espanhola que faz fronteira com o Algarve.

Deputação de Huelva reage ao plano do Governo

- Pub -

De acordo com o jornal Diário de Huelva, a Deputação de Huelva reagiu ao plano governamental de investimento com a apresentação de uma vintena de argumentos entre as quais se refere que o plano “parece redigido por um inimigo de Huelva”, classificando-o de “uma má notícia para a província”.

No âmbito dos investimentos em vias férreas a crítica não vai só para a inexistência de clareza no investimento na alta velocidade a ligar Sevilha a Huelva.

O responsável pela área de infra-estruturas na Deputação de Huelva, Alejandro Marquéz, citado pelo Diário de Huelva, sublinhou a necessidade de, enquanto se desenvolvem os projectos necessários à ligação AVE entre as duas cidades, “tornar mais competitiva a actual linha Sevilha-Huelva, melhorando os lanços com limitações de velocidade, já que não é lógico demorar hora e meia de comboio [para percorrer 90 quilómetros], bem como ajustar os horários das ligações entre a capital da província e a capital da comunidade autónoma de acordo com os horários do AVE Sevilha -Madrid”.

A ficar assim o Pitvi, a província de Huelva mantém-se afastada dos principais meios de comunicação do país vizinho e impossibilitada de ter ligações aéreas directas com destinos europeus, tudo isto apesar da sua posição estratégica em termos turísticos no sul de Espanha.

Toda a costa da província vizinha do Algarve e as suas infra-estruturas turísticas continuam na dependência dos aeroportos de Faro e Sevilha e das ligações ferroviárias de segunda linha que unem o AVE Madrid-Sevilha à cidade de Huelva a velocidades muito inferiores às do ‘TGV espanhol’.

No meio do panorama negro proposto pelo Pitvi para Huelva apenas a boa notícia da intenção do Governo central espanhol para melhorar a capacidade da A-49 – Autopista del Quinto Centenário – na ligação Huelva/Sevilha concluída em 1991 e que em finais de 2002 ligaria a capital da província à A22 em Portugal.

Facebook Comments

Comentários no Facebook