Câmara de Loulé aprova compra do Café Calcinha

Câmara de Loulé aprova compra do Café Calcinha

262
PARTILHE
Ao longo de décadas muitas foram as figuras de prestígio que frequentaram o Café Calcinha, como António Aleixo
Ao longo de décadas muitas foram as figuras de prestígio que frequentaram o Café Calcinha, como António Aleixo

 

 

 

 

- Pub -

 

 

 

 

 

 

A proposta para a autarquia louletana adquirir o imóvel onde se encontra instalado o Café Calcinha foi aprovada em reunião camarária.

“Após avaliação e contraproposta do proprietário, a Câmara de Loulé pretende adquirir este emblemático espaço da cidade por um valor que ronda os 182 mil euros. Para que esta compra se concretize através de escritura pública, é necessário que a proposta seja aprovada na próxima Assembleia Municipal, agendada para 30 de Abril”, refere a autarquia em nota de imprensa.

Refira-se que este Café foi classificado como Imóvel de Interesse Municipal em 2012 e é, a par de outros monumentos e locais de Loulé, um elemento de identidade da cidade do próprio concelho de Loulé. Para os responsáveis da autarquia, pretende-se com esta aquisição promover a defesa do património e da identidade louletana.

 Café Calcinha foi implantado em 27 de Agosto de 1927

Localizado no centro de Loulé e no eixo comercial mais importante, o Café Calcinha foi durante o último século, e até aos dias de hoje, um marco sociocultural da população local e de todos os visitantes, sendo o único espaço de tertúlia na história da cidade, que lhe configurou o privilégio de ser o estabelecimento mais emblemático e referenciado na história local.

Ao longo das décadas e no decurso da sua já longa história (foi implantado em 27 de Agosto de 1927), muitos foram os nomes importantes da vila que o frequentaram e mais as histórias que por lá se contaram, de geração em geração, entre as tertúlias, os cafés, o medronho, o capilé ou a ginjinha e as cigarrilhas ou onças de tabaco.

Dele fizeram parte figuras de prestígio da vida pública louletana e nacional, destacando-se Frutuoso da Silva, Bernardo Lopes, Bexiga Peres, Pedro de Freitas, Reais Pinto, José Inês ou Joaquim Magalhães. Mas nenhum deles, porém, atingira a notoriedade de António Aleixo, que se destacou pelas suas réplicas mordazes e subtis em quadras soltas e sábias; no exterior foi colocada uma estátua em bronze, numa homenagem mais do que justa ao poeta popular.

É hoje um dos cartões-de-visita da cidade, sendo a sua fachada e o seu interior retratados em muitos folhetos turísticos e internet como ex-líbris de Loulé.

Facebook Comments

Comentários no Facebook