Polícia Marítima e SOS Miminhos ajudam ‘bebés da ria’

Polícia Marítima e SOS Miminhos ajudam ‘bebés da ria’

854
PARTILHE
As técnica do SOS Miminhos com um dos bebés apoiados pelo projecto
As técnica do SOS Miminhos com um dos bebés apoiados pelo projecto

A Polícia Marítima e a associação ACASO de Olhão uniram esforços e levaram a cabo recentemente uma acção de apoio social e levantamento de dados na Ilha de São Lourenço, um parchal de grandes dimensões situado frente à zona ribeirinha da cidade de Olhão.

A intervenção teve por base o projecto S.O.S. Miminhos, que visa apoiar as crianças do concelho de Olhão até aos três anos, nomeadamente a nível alimentar e de saúde, e “levou até às famílias que ocupam aquela zona da Ria Formosa, uma psicóloga , uma assistente-social e três educadoras sociais, além de apoio alimentar e de produtos básicos destinados a cinco crianças de dois agregados familiares”, disse ao POSTAL Célia Branco, responsável pelo projecto da ACASO.

A acompanhar as técnicas estiveram dois militares da Polícia Marítima da Capitania do Porto de Olhão, que ajudaram no transporte dos bens e asseguraram a viagem a bordo de um semi-rígido da Marinha até aquele aglomerado populacional que não usufrui de nenhuma ligação marítima regular. 

Há mar e mar, há ir e mimar

- Pub -

Porque há mar e mar, há ir e mimar, a intenção primeira do S.O.S. Miminhos, que apoia cerca de 90 crianças olhanenses até aos três anos, foi o de levar para as cinco crianças já referenciadas apoio alimentar e produtos de higiene, entre outros de primeira necessidade e verificar a situação das mesmas.

Célia Branco recorda que “os habitantes da Ilha de São Lourenço são essencialmente mariscadores, sem-abrigo e imigrantes de leste, todos com fortes dificuldades sócio-económicas, e por isso aproveitamos a viagem para fazer o despiste de outras situações que pudessem ser alvo de intervenção no âmbito de acção do projecto”.

“Não foram identificadas mais crianças até aos três anos naqueles agregados familiares a necessitarem de ajuda do S.O.S. Miminhos”, avança a responsável da ACASO, mas pudemos despistar outras situações que ajudam a completar o trabalho de levantamento social que temos vindo a desenvolver nas várias áreas de intervenção da ACASO”.

Entre Fevereiro e Maio deste ano, cerca de 50 visitas num universo de aproximadamente 90 crianças até aos três anos permitiram à ACASO traçar um perfil das necessidades mais prementes de apoio em crianças nesta faixa etária no concelho de Olhão, um trabalho que Célia Branco classifica de “fundamental para a actividade da associação e para a definição do perfil de necessidades de intervenção social no concelho”.

Muito mais do que alimentar

O S.O.S. Miminhos, muito embora tenha nascido para colmatar a deficiência dos meios de apoio social para os bebés, é hoje um projecto social muito mais abrangente.

Além de alimentos e outras necessidades básicas das crianças até aos três anos, o projecto que é exclusivamente financiado por privados, nomeadamente pelo apoio de empresas do concelho e dos rotários olhanenses, está neste momento a desenvolver um trabalho de campo na formação das mães dos bebés nas áreas da amamentação, introdução à alimentação, saúde e higiene e na segurança e prevenção de acidentes.

Este trabalho de formação é, no entender de Célia Branco, “uma aposta no futuro e na profilaxia de situações que podem ter elevados custos para as crianças se não forem devidamente antecipadas”.

A unir esforços em prol dos mais pequenos a ACASO não tem limites e a pé, de carro ou de barco, por terra e por mar, dá em cada acção mais um passo no sentido de cuidar e ensinar a cuidar dos mais pequenos, porque não há limites para a vontade de os mimar.

Facebook Comments

Comentários no Facebook