Angola investe 130 milhões na rede eléctrica

Angola investe 130 milhões na rede eléctrica

237
PARTILHE
Governo Angolano aposta na melhoria das infra-estruturas eléctricas
Governo Angolano aposta na melhoria das infra-estruturas eléctricas

O Executivo angolano contratou, por 130 milhões de euros, a construção de infra-estruturas eléctricas divididas por seis empreitadas distintas, segundo os respectivos despachos presidenciais. 

Em causa estão seis despachos presidenciais de 23 e 24 Julho, publicados em Diário da República.

O mais avultado destes contratos envolve a construção da Linha de Transporte de 60 KV entre a subestação de Cambutas, em Cambambe (Cuanza Norte), e a subestação de Calulo, bem como a reabilitação e ampliação de novas redes de distribuição de Média Tensão, Baixa Tensão, iluminação pública e ligações domiciliárias.

Este contrato, segundo o despacho presidencial n.º 142, será celebrado entre o Ministério da Energia e Águas e a empresa Omatapalo – Engenharia e Construção, S.A., por 41,6 milhões de euros.

- Pub -

Já o despacho presidencial n.º 141 aprova a contrato de construção do Sistema de Transporte à 60 KV, associado à segunda central de Cambambe, linhas de 60 quilovátios, subestações associadas, distribuição de Média Tensão, Baixa Tensão, iluminação pública e ligações domiciliárias. Este contrato será celebrado igualmente entre o mesmo ministério e a empresa Elecnor, S.A., por 31,9 milhões de euros.

Outros quatro despachos envolvem o projecto e a construção de subestações de 60/15 KV na província de Luanda.

É o caso da infra-estrutura do Lar do Patriota, a adjudicar à empresa CME – Construções, Manutenção e Eletromecânica, por 14,7 milhões de euros, e outra no Bairro “Vitória é Certa”, a construir pela empresa Inotec – Ambiente, Energia e Comunicações, S.A., por 16,9 milhões de euros. 

A empresa Powergol – Materiais e Equipamentos Elétricos de Angola, terá a seu cargo as subestações 60/15 KV da 6.ª Avenida no Cazenga, por 11,3 milhões de euros, e no Bairro “Angola e Cuba”, por 15 milhões de euros.

(Agência Lusa)

Facebook Comments
PARTILHE
Email: jornalpostal@gmail.com

Comentários no Facebook