Juros da dívida soberana caem com nova Administração do BES

Juros da dívida soberana caem com nova Administração do BES

248
PARTILHE
Crise no BES tem revelado efeitos no comportamento da dívida soberana de Portugal
Crise no BES tem revelado efeitos no comportamento da dívida soberana de Portugal

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a descer em todos os prazos, depois de o Banco de Portugal ter acelerado a mudança da gestão do Banco Espírito Santo (BES).

Cerca das 08:40 de hoje, os juros a 10 anos estavam em 3,761%, depois de terem terminado a 3,866% na sexta-feira e de terem descido até aos 3,323% a 11 de Junho, um mínimo desde Outubro de 2005.

No prazo a cinco anos, os juros estavam a descer para 2,468%, já abaixo dos 2,5%, depois de terem terminado a 2,554% na sexta-feira e de terem descido até ao mínimo de sempre (2,102%) a 09 de Junho.

No mesmo sentido, a dois anos, os juros da dívida estavam a descer para 0,919%, depois de terem fechado a 1,020% na sexta-feira, acima de 1% pela segunda vez desde 5 de Junho, e descido até 0,839% a 04 de Julho, um mínimo de sempre.

- Pub -

Depois dos juros das dívidas soberanas da periferia da Europa terem subido fortemente, o BES comunicou hoje ao mercado a cooptação de Vítor Bento, José Honório e João Moreira Rato para os cargos de presidente, vice-presidente da comissão executiva e administrador financeiro da instituição, respectivamente.

De acordo com a informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), as nomeações visam substituir “Ricardo Espírito Santo Salgado, José Manuel Pinheiro Espírito Santo e José Maria Espírito Santo Ricciardi, também membros da comissão executiva, que haviam renunciado ao mandato”.

O Banco de Portugal (BdP) tinha determinado no domingo a convocação urgente de uma reunião extraordinária do conselho de administração do BES para proceder à cooptação dos novos membros para a comissão executiva.

O Banco de Portugal informou que continua a aguardar que lhe seja submetido, para avaliação, o modelo de governo interno que venha a ser aprovado em assembleia geral extraordinária.

Nas últimas semanas, foram tornados públicos vários problemas no Grupo Espírito Santo (GES), a que se juntam alterações na gestão do BES, com a saída do líder histórico do banco, Ricardo Salgado.

A 17 de Maio, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado à `troika` (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor cerca de três anos.

Na reunião mensal de Julho, o Conselho de Governadores do BCE deixou inalteradas as medidas de política monetária anunciadas em Junho.

A 05 de Junho, o BCE tinha cortado a taxa de juro directora em 0,10 pontos percentuais para o novo mínimo histórico de 0,15% e anunciou a realização de duas injecções de liquidez de longo prazo (quatro anos), em Setembro e Dezembro deste ano, no valor de 400 mil milhões de euros, destinadas a serem emprestadas pela banca a empresas e famílias.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam hoje a subir a dois e cinco anos e a descer a dez anos. Dublin terminou oficialmente, a 15 de Dezembro passado, o programa de ajustamento solicitado em 2010 à `troika`, no valor de 85 mil milhões de euros.

Os juros de Itália e de Espanha estavam a descer em todos os prazos, bem como os da Grécia a 10 anos, o único prazo disponível daquele país.

(Agência Lusa)

Facebook Comments
PARTILHE
Email: jornalpostal@gmail.com

Comentários no Facebook