IKEA de Loulé com Declaração de Impacte Ambiental Favorável Condicionada

IKEA de Loulé com Declaração de Impacte Ambiental Favorável Condicionada

369
PARTILHE
Dos 14 organismos chamados a pronunciar-se sobre o EIA nenhum emitiu parecer desfavorável
Dos 14 organismos chamados a pronunciar-se sobre o EIA nenhum emitiu parecer desfavorável

O projecto de loteamento do IKEA de Loulé, a instalar na zona abrangida pelo plano de urbanização Caliços-Esteval, recebeu uma Declaração de Impacte Ambiental (DIA) de teor ‘favorável condicionado’, nomeadamente, à concretização das medidas de minimização e dos planos de monitorização nela constantes.

A apreciação técnica do Estudo de Impacte Ambiental (EIA) foi efectuada por uma comissão de avaliação constituída por representantes da CCDR Algarve, da Agência Portuguesa do Ambiente, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, da Direcção Regional de Cultura, da Câmara Municipal de Faro e da Câmara Municipal de Loulé.

De salientar que nenhum dos 14 organismos chamados a pronunciar-se sobre o EIA, incluindo o conjunto de oito entidades externas à comissão de avaliação, emitiu parecer desfavorável.

A Declaração de Impacte Ambiental, do IKEA de Loulé, com data de 29 de Julho, é pública e pode ser consultada em www.ccdr-alg.pt.

- Pub -

O projecto prevê um conjunto de quatro lotes localizados no concelho de Loulé, que totalizam uma área de 242.353 metros quadrados, estando 81.337 metros quadrados reservados para uma área verde de protecção e enquadramento e as obras para os acessos abrangem terrenos do concelho de Faro.

Além do espaço comercial dedicado aos produtos IKEA, está prevista uma área comercial tradicional, com 195 lojas, e um centro comercial especializado, com 125 lojas, a par de uma área de estacionamento exterior para 1.819 veículos e estacionamento subterrâneo para 847 veículos ligeiros.

Os responsáveis pelo projecto, IKEA Portugal – Móveis e Decoração e Inter Ikea Center Portugal prevêem que a construção de todas as unidades comerciais, estruturas de apoio e acessibilidades fiquem prontas em dois anos após o início das obras.

(com Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook