Requalificação da Ponte D. Maria em Lagos arranca em Setembro

Requalificação da Ponte D. Maria em Lagos arranca em Setembro

214
PARTILHE
Obras na ponte arrancam no próximo mês de Setembro e devem estar concluídas em Junho do próximo ano
Obras na ponte devem estar concluídas em Junho do próximo ano

O contrato da empreitada de Reabilitação e Reforço Estrutural da Ponte D. Maria foi assinado na semana passada, no edifício dos Paços do Concelho Séc. XXI.

O valor da obra é de 870 mil e 044 euros, acrescido de IVA, e está a cargo da empresa EXTRACO Construccións e Proxetos, S.A.

De acordo com o contratado, a “empreitada tem um prazo de execução de 240 dias, sendo que as obras estão previstas arrancar já no mês de Setembro”.

A autarquia lacobrigense explica, em nota de imprensa, que a propósito da empreitada, “quando foi aberto concurso público internacional que fixava o preço base da empreitada em 950 mil euros, acrescido de IVA, das empresas concorrentes, ficou melhor posicionada a empresa espanhola EXTRACO Construccións e Proxetos, S.A.”.

Concurso foi aberto em Maio

Na altura da abertura do concurso, no passado mês de Maio, Maria Joaquina Matos, presidente da cãmara local, manifestou a sua “enorme satisfação pelo facto de se ter conseguido dar resposta a um grande anseio da população”, recordando que para este desfecho muito contribuiu o facto de se ter conseguido a aprovação da candidatura pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR) e a estreita colaboração entre os serviços da Câmara, a empresa municipal Futurlagos, a equipa projectista, Consulmar – Projectistas e Consultores, Lda e, ainda, a equipa que promoveu a revisão do projecto, Raiz – Consultores, Lda.

Na ocasião a autarca salientou ainda a “colaboração, ao nível da celeridade, das várias entidades que emitiram parecer sobre o projecto, nomeadamente a Agência Portuguesa do Ambiente, a Direcção Regional de Cultura do Algarve, as Águas do Algarve e a EDP, o que também contribuiu para que fosse possível cumprir a calendarização estabelecida e necessária ao lançamento da empreitada”.

Maria Joaquina Matos classificou, nessa altura, este “passo” como “um momento muito importante para Lagos”, por permitir “avançar com a obra e resolver uma situação de acessibilidades, vital para a ligação entre margens e o bom funcionamento de equipamentos (escolares e outros), das unidades hoteleiras, empresas e comércio, da Marina e infra-estruturas portuárias e ferroviárias, que, desde 2012, data em que a ponte teve de ser encerrada por questões de segurança, vinham sentindo prejuízo nas suas actividades”.

A obra será comparticipada em cerca de 65%, por fundos comunitários (candidatura já aprovada ao PO Algarve 21), sendo o restante assegurado pela autarquia. Prevê-se que a obra esteja concluída no final de Junho do próximo ano.

Facebook Comments

Comentários no Facebook