Portugal quer exportar polvo algarvio para a Ásia

Portugal quer exportar polvo algarvio para a Ásia

261
PARTILHE
Governo quer conquistar mercado asiático
Governo quer conquistar o mercado asiático

O secretário de Estado do Mar disse ontem, quinta-feira, que o Governo está empenhado em captar clientes nos países asiáticos para iniciar a exportação de polvo produzido no Algarve, revelando que um representante governamental vai deslocar-se à Coreia em Novembro.

“Um representante do Governo irá à Coreia para fazer um contacto com um eventual cliente que manifestou muito interesse em receber polvo produzido em Portugal”, disse à Lusa Manuel Pinto de Abreu, à margem da inauguração da Mar Algarve Expo, em Portimão.

De acordo com o governante, a avaliação feita demonstra que Portugal mantém todas as condições para realizar a exportação de polvo para o mercado asiático, e o Governo “está empenhado em concretizar esse objectivo extremamente importante para a economia”.

“Mantemos a convicção de que é possível e importante realizá-lo e até que nos digam que não é uma boa iniciativa, não deixaremos de a levar a cabo”, frisou.

- Pub -

Segundo Manuel Pinto de Abreu, além do trabalho que está a ser feito com a Universidade do Algarve e com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) para a produção de polvo para exportação, “decorrem acções com aqueles que são, possivelmente, os futuros destinatários da produção, ou seja; os futuros clientes do polvo do Algarve”.

“Estamos no caminho certo para aumentar as nossas exportações, tão importantes para a sustentabilidade económica do nosso país”, destacou.

Reforçadas verbas comunitárias para os investimentos no mar

Ao intervir na sessão de abertura da Mar Algarve Expo, o secretário de Estado do Mar reafirmou a importância de se olhar mais para o mar, frisando que “o mesmo constitui uma prioridade para a economia”.

“O Governo tem olhado e está a olhar cada vez mais para o mar, mas é preciso que os empresários também o façam e o vejam como um sector de progresso e sustentabilidade económica”, assegurou.

O secretário de Estado do Mar destacou ainda que serão reforçadas as verbas comunitárias para os investimentos no mar, no âmbito do Programa 20/20, sendo uma parte desse reforço, cerca de 60 milhões de euros, “aplicados no desenvolvimento de acções estratégicas e monitorização”.

“Tudo o resto, corresponde aquilo que é fundamentalmente a acção na pesca com uma reorientação da política comum de pescas, em que, não só a biodiversidade mas também a aquacultura surgem com papel reforçado. No fundo será a continuação do que estava a ser feito, mas com reforço nas novas áreas estratégicas identificadas no quadro europeu”, concluiu.

O secretário de Estado do Mar presidiu à inauguração da primeira edição da Mar Algarve Expo, que decorre até este sábado, no Portimão Arena, com vista à promoção dos agentes que se relacionam com a economia do mar.

Organizado pela Maralgarve – Associação para a Dinamização do Conhecimento e da Economia do Mar no Algarve, o certame reúne 70 expositores, entre empresas e organismos públicos.

Durante os três dias da Mar Algarve Expo estão previstos seminários, oficinas de trabalho, apresentações culinárias, exposições e animação. A entrada é livre.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook