Economia cresce 0,2% no terceiro trimestre

Economia cresce 0,2% no terceiro trimestre

271
PARTILHE
Portugal registou uma taxa de crescimento de 1% entre Julho e Setembro
Segundo o Instituto Nacional de Estatística, Portugal registou uma taxa de crescimento de 1% entre Julho e Setembro

A economia portuguesa cresceu 0,2% no terceiro trimestre face ao segundo e 1,0% face a igual período do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A estimativa rápida divulgada hoje pelo instituto mostra, assim, que a economia portuguesa acelerou em termos homólogos, já que no segundo trimestre do ano havia crescido 0,9%. Já na evolução em cadeia, a economia desacelerou face ao crescimento de 0,3% registado no segundo trimestre.

“O Produto Interno Bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 1,0% em volume no terceiro trimestre de 2014, após a variação de 0,9% observada no segundo trimestre, de acordo com a estimativa rápida das Contas Nacionais Trimestrais”, lê-se nos dados hoje divulgados pelo INE.

A justificar a aceleração da economia em termos homólogos esteve um “contributo positivo mais intenso” da procura interna, enquanto a procura externa foi mais negativa.

- Pub -

“A procura interna apresentou um contributo positivo mais intenso para a variação homóloga do PIB no terceiro trimestre, reflectindo sobretudo a evolução das despesas de consumo final das famílias residentes”, sublinha o INE, adiantando que, pelo contrário, “a procura externa líquida registou um contributo negativo mais significativo no terceiro trimestre, devido à aceleração das importações de bens e serviços, tendo as exportações de bens e serviços apresentado um crescimento próximo do verificado no trimestre anterior”.

INE destaca o aumento das despesas de consumo das famílias

Para justificar a subida do PIB de 0,2% em cadeia face aos 0,3% no segundo trimestre, o INE destaca o aumento das despesas de consumo final das famílias residentes.

O INE dá ainda conta que as estimativas hoje divulgadas incorporam revisões na informação de base utilizada, nomeadamente “decorrentes da utilização dos dados mais recentes do comércio internacional de bens, com revisões em termos nominais e ao nível dos deflactores para o 2º trimestre de 2014”.

Este novo conjunto de informação, acrescenta, não implicou revisões nas taxas de variação homóloga e em cadeia do PIB no 2.º trimestre de 2014, período em que a economia cresceu 0,3% em cadeia e 0,9% em termos homólogos.

Os dados hoje divulgados pelo INE são uma estimativa rápida relativa ao terceiro trimestre, não se substituindo à divulgação habitual das Contas Nacionais Trimestrais (também designada por estimativa corrente), a divulgar no próximo dia 28.

(Agência Lusa)

Facebook Comments
PARTILHE
Email: jornalpostal@gmail.com

Comentários no Facebook