Enfermeiros mantêm greve para amanhã (actualizada)

Enfermeiros mantêm greve para amanhã (actualizada)

255
PARTILHE
Nuno Manjua do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses no Algarve
Nuno Manjua do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses no Algarve

Apesar do apelo do Governo, feito através de carta dirigida pelo secretário de Estado da Saúde ao presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), como o Postal noticiou (VER), os profissionais do sector anunciaram hoje em conferência de imprensa que mantêm as greves previstas para amanhã e para o próximo dia 21.

Assim já amanhã se farão sentir em todo o Serviço Nacional de Saúde os efeitos da paralisação agendada pelos enfermeiros para todo o território nacional.

De acordo com Nuno Manjua, as razões que estão na base da não aceitação por parte dos enfermeiros do apelo realizado pela tutela ontem, prendem-se com o facto de “o surto de legionella não ser razão suficiente para desconvocar da greve”, segundo o enfermeiro, que sublinha “que o pico do surto já se registou”.

Para Nuno Manjua, representante do SEP no Algarve, o apelo do Governo “assenta numa falsa questão”, a necessidade de profissionais para um surto epidemiológico em fase descendente, “quando a questão fulcral está na falta de enfermeiros no Serviço Nacional de Saúde em geral, para todos os momentos e não só para os casos de surtos deste género”.

- Pub -

Aliás, acrescenta o responsável sindical, “os enfermeiros assegurarão como sempre os serviços mínimos durante a greve, pensados para responder às situações de urgência”, pelo que a falta de profissionais não se põe nestes casos.

Os enfermeiros querem com a greve vincar a posição de que o Serviço Nacional de Saúde carece urgentemente da contratação de mais profissionais, nomeadamente enfermeiros, e da necessidade de regresso do horário de 35 horas para estes profissionais, entre outras reivindicações. 

(notícia actualizada quanto às declarações de Nuno Manjua)

Facebook Comments

Comentários no Facebook