Lagos homenageia o Infante D. Henrique

Lagos homenageia o Infante D. Henrique

163
PARTILHE
Mª Joaquina Matos, presidente da Câmara de Lagos, lembrou o espírito vencedor do Infante, a sua força de vontade e o seu empreendedorismo
A presidente da Câmara de Lagos lembrou o espírito vencedor do Infante, a sua força de vontade e o seu empreendedorismo

A Câmara de Lagos voltou a prestar homenagem à memória do grande navegador Infante D. Henrique, numa cerimónia que celebrou os 554 anos sobre a sua morte e que decorreu ontem, quinta-feira, na Praça com o seu nome.

A cerimónia contou com a participação de uma Secção de Fuzileiros da Marinha Portuguesa, que se associou mais uma vez mais à celebração desta efeméride. Vários foram os convidados que também estiveram presentes neste tributo que decorreu junto à estátua do Navegador, nomeadamente, o executivo municipal, deputados municipais, presidentes das juntas de freguesias, o comandante da Zona Marítima do Sul, o capitão do Porto de Lagos e demais autoridades militares e civis. Igualmente presentes estiveram centenas de crianças que participaram em diversas actividades didácticas que serviram para que ficassem a conhecer melhor as principais figuras e acontecimentos históricos do período dos Descobrimentos Portugueses.

Depois de prestada a homenagem à memória do Infante e aos 554 sobre a sua morte, com a deposição de uma coroa de flores, usou da palavra o capitão de mar e guerra Paulo Manuel José Isabel, comandante da Zona Marítima do Sul, que começou por se afirmar “honrado em participar nesta homenagem a tão importante navegador português, e a quem bem sabemos o quanto somos devedores”. Para este responsável máximo da Zona Marítima do Sul, “é com agrado que a Marinha Portuguesa participa nesta cerimónia que evoca a memória de alguém que nunca aceitou os desafios que a terra impôs e que descobriu no Mar um novo desafio”. Paulo Isabel terminou defendendo que “o simbolismo da figura do Infante é uma referência que devemos sempre manter”, sendo que a melhor forma de manter viva a sua memória é “seguir o seu exemplo de empreendedorismo. O nosso futuro está indiscutivelmente ligado ao mar… assim o saibamos construir”, referiu a terminar a sua breve intervenção.

Por seu turno, a presidente da Câmara de Lagos, Maria Joaquina Matos, iniciou a sua alocução relembrando que mais uma vez “nos reunimos aqui junto à estátua do Infante nesta singela, mas importante e simbólica homenagem, que deveremos repetir ano após ano… e sempre!” .

- Pub -

Lembrando que “a nova idade em que os povos começavam a estar em contacto, partilhando ideias e valores, promovendo a troca de conhecimentos e bens materiais, passou por Lagos, passou pelo Infante, e foi em seu nome que durante quarenta anos se navegou”, a autarca defendeu que “o espírito vencedor do Infante, a sua força de vontade e o seu empreendedorismo são valores que devemos ter como exemplo a seguir nos dias de hoje”. A intervenção da presidente foi concluída com a leitura de um poema de Miguel Torga.

Facebook Comments

Comentários no Facebook