Orçamento de Vila do Bispo com menos 680 mil euros

Orçamento de Vila do Bispo com menos 680 mil euros

396
PARTILHE
Câmara de Vila do Bispo aprova orçamento de 17 milhões de euros
Câmara de Vila do Bispo aprovou orçamento de 17 milhões de euros para 2015

A Câmara de Vila do Bispo aprovou a proposta de orçamento para 2015, no valor de 17 milhões de euros, menos 680 mil euros relativamente a 2014, anunciou na passada sexta-feira o município.

A proposta de orçamento e as grandes opções do plano para o próximo ano foram aprovadas por maioria, devido ao voto de qualidade do presidente da autarquia (PS), registando-se dois votos a favor e uma abstenção dos vereadores do PS e os votos contra dos dois vereadores do PSD.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Vila do Bispo, Adelino Soares, justificou as opções afirmando que se trata de um documento “com equilíbrio e sustentabilidade financeira, baseada numa gestão de rigor, tendo como prioridade a redução da dívida”.

Segundo Adelino Soares, o orçamento prevê investimentos no valor de 6,6 milhões de euros, “de forma a garantir o desenvolvimento e o bem-estar da população, sem que sejam assumidas responsabilidades que possam comprometer negativamente o futuro.

- Pub -

“A prioridade assenta, sobretudo, na concretização das obras expressas pela população no decorrer das sessões do orçamento participativo”, sublinhou o autarca.

Entre os investimentos previstos nas várias freguesias, destacam-se a construção do sistema de abastecimento de água na aldeia da Pedralva, a recuperação e adaptação da antiga escola primária da Raposeira num núcleo museológico, e a requalificação do centro de Sagres. “São obras que a população considera fundamentais”, frisou.

Adelino Soares indicou que o orçamento para 2015 evidência também a preocupação ao nível dos apoios sociais a munícipes carenciados economicamente, “procurando dar atenção particular a situações emergentes de carência social e económica, designadamente em apoios para medicamentos, rendas de habitação, natalidade e ensino”.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook