Vila do Bispo entra em 2015 sem orçamento aprovado

Vila do Bispo entra em 2015 sem orçamento aprovado

195
PARTILHE
Adelino Soares, presidente da Câmara de Vila do Bispo
Adelino Soares, presidente da Câmara de Vila do Bispo

A proposta de Orçamento e das Grandes Opções do Plano para 2015 do município de Vila do Bispo, chumbada pela Assembleia Municipal em Novembro, será analisada e votada em Janeiro, disse hoje o presidente daquele órgão municipal.

A proposta de orçamento para 2015, no valor de 17 milhões de euros, menos 680 mil euros do que em 2014, e aprovada pelo executivo autárquico de maioria socialista foi reprovada pela Assembleia Municipal em Novembro, registando apenas um voto a favor do PS.

Votaram contra oito eleitos do PS, cinco do PSD e um do Bloco de Esquerda e os quatro presidentes das juntas de freguesia do concelho (Vila do Bispo e Raposeira, Budens, Barão de S. Miguel e de Sagres).

“A reprovação deveu-se ao incumprimento por parte do executivo municipal da deliberação da Assembleia de 19 de Setembro, que determinou que a Câmara estabelecesse um novo protocolo com os bombeiros voluntários onde constassem as verbas necessárias ao seu normal funcionamento”, disse à Lusa Nuno Amado, presidente da Assembleia Municipal de Vila do Bispo.

- Pub -

Segundo o autarca, a Associação Humanitária dos Bombeiros “debate-se com sérios problemas económicos, motivados pelas obras de construção do novo quartel, dívidas contraídas pela anterior direcção, liderada pelo actual presidente da autarquia, necessitando de mais de 20 mil euros mensais”.

“Sem fontes de receita e apenas com a verba [18 mil euros mensais] que a Câmara inscreveu no orçamento para 2015, os bombeiros ficariam impedidos de saldar parte das dívidas e manter o seu normal funcionamento, correndo o risco de insolvência”, sustentou.

Proposta de Orçamento foi rectificada com verba para os bombeiros

De acordo com Nuno Amado, os bombeiros precisam de um apoio financeiro entre os 22 e os 25 mil euros mensais, frisando que “o reforço das verbas deve constar de um novo protocolo com a associação humanitária”.

“Deverá ficar tudo escrito, pois sabemos que o que é inscrito no orçamento pode não ser cumprido”, frisou Nuno Amado, acrescentando que o presidente da autarquia “demonstrou desprezo” pela deliberação dos deputados municipais, pelo que a Assembleia entendeu “chumbar a proposta de orçamento” para 2015.

Por seu turno, o presidente da Câmara de Vila do Bispo, Adelino Soares, disse à Lusa que a proposta de Orçamento “já foi rectificada, aprovada pelo executivo e enviada para ser votada pela Assembleia Municipal, tendo sido inscrita a verba de 23 mil euros mensais a atribuir aos bombeiros”.

“Este aumento representa um esforço financeiro muito grande para a autarquia”, disse Adelino Soares, sem indicar se cumprirá a deliberação da Assembleia para a concretização de um novo protocolo com os bombeiros.

O presidente da Assembleia Municipal afirmou que a deliberação do órgão a que preside “é para ser cumprida”, deixando, contudo, a liberdade de voto aos deputados municipais para “actuarem de acordo com a sua consciência”.

Nuno Amado adiantou que o assunto vai ser discutido e analisado pela comissão política concelhia do PS, em reunião prevista para a próxima semana.

“Exige-se responsabilidade a todos os que foram eleitos com poderes executivos nas listas do PS, para que sejam cumpridos os compromissos eleitorais assumidos com a população”, concluiu o presidente da Assembleia Municipal de Vila do Bispo e presidente da concelhia socialista.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook