Volume de negócios no alojamento turístico cresce em Novembro

Volume de negócios no alojamento turístico cresce em Novembro

189
PARTILHE
A taxa de ocupação por quarto foi de mais 9,2% do que em Novembro de 2013
A taxa de ocupação por quarto foi de mais 9,2% do que em Novembro de 2013

O volume de negócios das unidades de alojamento do Algarve subiu 10,4% em Novembro, comparativamente ao mesmo mês do ano passado, anunciou a principal associação hoteleira da região.

A taxa de ocupação global média por quarto também foi de mais 9,2% do que em Novembro de 2013, acrescentou a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) na avaliação mensal às variações nas unidades de alojamento algarvias.

A AHETA precisou que os aumentos ficaram sobretudo a dever-se a um incremento nos turistas provenientes dos mercados português (mais 25%) e britânico (mais 7,9%), enquanto as zonas que mais registaram subidas foram as de Faro/Olhão (9,5 pontos percentuais), de Tavira (mais 9,2 pontos percentuais) e de Portimão/Praia da Rocha (mais 9,2 pontos percentuais).

Maior ocupação em Monte Gordo/Vila Real

- Pub -

A taxa de ocupação por quarto mais alta do Algarve foi registada nas unidades de alojamento da zona de Monte Gordo/Vila Real de Santo António, onde atingiu os 63,9%, valor distante da taxa mais baixa verificada em Lagos/Sagres e que foi de 20,8%, segundo os dados divulgados pela associação, que está sediada em Albufeira, Faro.

A associação hoteleira algarvia destacou ainda a subida homóloga de 5,3 pontos percentuais registada na zona de Albufeira, que qualificou como “a principal zona turística do Algarve” e onde a taxa de ocupação foi de 36,3%.

Quanto às unidades de alojamento por categoria os dados da AHETA apontam para subidas de 8,0 pontos percentuais na ocupação dos aldeamentos e apartamentos turísticos de 5 e 4 estrelas e de 5,7 pontos percentuais na dos de 3 estrelas.

A categoria de 3 estrelas verificou a taxa de ocupação mais alta, com 44,1% nos hotéis e aparthotéis, mas também a mais baixa, porque os aldeamentos e apartamentos turísticos registaram apenas 31,1%, ainda segundo os dados de Novembro divulgados pela AHETA.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook