Lançado concurso para a construção da nova ETAR Faro-Olhão

Lançado concurso para a construção da nova ETAR Faro-Olhão

400
PARTILHE
Nova ETAR servirá os concelhos de Faro, Olhão e São Brás de Alportel
Nova ETAR servirá os concelhos de Faro, Olhão e São Brás de Alportel

A Águas do Algarve (AdA) anunciou na passada terça-feira o lançamento do concurso público para a construção da nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) Faro-Olhão, que servirá freguesias dos concelhos de Faro, Olhão e São Brás de Alportel.

Em comunicado, a empresa refere que as infra-estruturas de tratamento existentes se encontram “subdimensionadas face às condições de afluência atuais”, para além do facto de assentarem em sistemas de lagunagem (em lagoas ou pequenas rias), “que se revelam desadequados face aos níveis de qualidade agora exigidos para o efluente tratado a descarregar no meio receptor”.

A futura estação, que irá situar-se no local da actual ETAR Faro Nascente – a dois quilómetros a Este da cidade, numa área abrangida pela ria Formosa -, vai assegurar o tratamento dos efluentes produzidos na União das Freguesias de Faro, Conceição e Estoi (Faro), na vila de São Brás de Alportel e nas freguesias de Olhão, Pechão e Quelfes (Olhão).

Obra tem o valor base de 14,5 milhões de euros

A escolha de uma única ETAR para servir os três concelhos é encarada pela empresa como a solução mais vantajosa, do ponto de vista técnico e económico, ao abrigo do estudo prévio do sistema intermunicipal de intercepção e tratamento de águas residuais de Faro e Olhão.

Actualmente, na sua grande maioria, as águas residuais geradas na cidade de Faro são tratadas na ETAR de Faro Nascente, enquanto as de Olhão são tratadas na ETAR de Olhão Poente.

Com a entrada em funcionamento da futura ETAR, serão desactivadas aquelas duas estações e feita a ligação do subsistema de saneamento de Olhão Poente à nova estação.

Apesar de ter um valor base de 14,5 milhões de euros, o montante pode, no entanto, sofrer alterações, devido ao elevado grau de complexidade da obra e às exigências ambientais reflectidas na Declaração de Impacte Ambiental, sublinha a AdA.

A empreitada inclui o desenvolvimento prático do Plano de Segurança e Saúde para a fase de execução da obra, assim como o Plano de Prevenção e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição.

O concurso público internacional, já lançado, foi publicado em Diário da República a 30 de Janeiro.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook