ACRAL marca pontos com projecto de certificação regional

ACRAL marca pontos com projecto de certificação regional

457
PARTILHE
O desenvolvimento do projecto da ACRAl permitirá ter em breve produtos como selo Produto Algarve
O desenvolvimento do projecto da ACRAL permitirá ter em breve produtos como selo Produto Algarve

Em vez de olhar para o seu pequeno quintal, como acorreu até aqui com as várias certificações dos produtos regionais obtidas até ao momento no Algarve, a associação empresarial ACRAL mostrou ter uma visão global da região e da economia regional ao lançar na passada semana em Faro um projecto de certificação transversal à região e à economia e uma marca única para os produtos do Algarve.

Com o projecto Algarve Positivo, financiado por fundos do PO Algarve21, a ACRAL, liderada por Victor Guerreiro, põe assim em marcha um desafio regional de criar um conceito de verdadeiro “made in Algarve”, numa perspectiva de 360 graus para levar os produtos regionais ao país e ao mundo a coberto de um guarda-chuva único, a marca “Produto Algarve”.

460 mil euros para pôr projecto a andar

São “460 mil euros de investimento”, revelou Victor Guerreiro na conferência de imprensa que apresentou o projecto no Mercado Municipal de Faro e que contou com a presença do presidente da câmara local, do director regional de Agricultura e Pescas e do vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR).

- Pub -

“Teremos que fazer alguma engenharia financeira para conseguirmos que o projecto tenha sucesso” e “estamos a desenvolver contactos no sentido de juntarmos privados a esta iniciativa, para não estarmos dependentes somente dos dinheiros públicos”, referiu o responsável da ACRAL.

Para já a marca comunitária “Produto Algarve” já está registada e tem imagem criada e estão a decorrer os contactos com os produtores e empresários da região que serão a base de todo o projecto. Ao Postal Victor Guerreiro afirmou que “queremos ter todos os empresários algarvios envolvidos neste desafio, do maior ao mais pequeno e de todas as áreas da economia, bastando para tal que os produtos e serviços sejam prestados no Algarve ou produzidos e transformados com recursos endógenos da região ou por métodos típicos regionais”.

O trabalho no terreno

No mercado de Faro decorria ao mesmo tempo que a conferência de imprensa uma acção de divulgação junto dos produtores e dos consumidores da marca “Produto Algarve”, integrada num roadshow que está a percorrer a região.

Os trabalhos em desenvolvimento neste projecto, que é uma parceria entre a ACRAL e a Algarve Film Comission, incluem neste momento contactos com produtores, autarquias, Universidade do Algarve e outros agentes da economia, no sentido de criar a maior base de apoio possível para o projecto.

Na calha está a criação de um portal web, e respectivas aplicações para smartphones, dividido em três grandes áreas, uma base de dados de produtores e produtos com ferramentas que “permitam saber quem e onde produz o quê no Algarve”, uma área reservada às lojas de comercialização de produtos do Algarve e uma área reservada à exportação, outros dos grandes objectivos do projecto.

A cargo da Algarve Film Comission estará a criação de filmes para vários suportes que ajudem a comunicar a marca, os produtos e as lojas de tradição nos mercados nacionais e internacionais e nas mais variadas plataformas de comunicação.

O lançamento de guias de produtos e produtores e de lojas de produtos algarvios está também previsto e o processo de criação dos materiais está a ser desenvolvido.

A imagem associada à marca Produto Algarve que surgirá aplicada nos produtos certificados
A imagem associada à marca Produto Algarve que surgirá aplicada nos produtos certificados

Certificação e selo “Produto Algarve”

O processo de certificação dos produtos está, depois de um estudo de mercado já realizado, em vias de formatação para que, diz Victor Guerreiro, “este não seja um processo de certificação que de tão complicado torne inviável a sua aplicação”.

“Será um processo de certificação com regras e devidamente auditado que dará acesso aos produtores à possibilidade de colocar nos seus produtos o selo “Produto Algarve”, garantindo a origem e qualidade aos consumidores de acordo com as normas de certificação”, refere o presidente da ACRAL.

Consenso em torno da oportunidade do projecto

Da parte da direcção regional de Agricultura, Fernando Severino, director do organismo, realça a importância deste projecto e a necessidade de agregação dos empresários regionais em torno de ideias e objectivos comuns, enquanto a CDDR vê no próximo quadro de fundos europeus espaço para continuar a apoiar este projecto nas suas fases seguintes, disse Adriano Guerra, vice-presidente da instituição na conferência de imprensa.

Ao apoio à iniciativa da ACRAL juntou-se Rogério Bacalhau, que para além das vantagens do projecto em si realçou a importância e oportunidade de uma marca “Produto Algarve” capaz de gerar uma mais-valia para a região não só em termos económicos mas também “de ânimo em torno do que é nosso e sabemos fazer bem”.

Facebook Comments

Comentários no Facebook