Projecto Querença lança barra energética feita com produtos locais

Projecto Querença lança barra energética feita com produtos locais

459
PARTILHE
A amêndoa é um dos ingredientes que compõem a barra energética
A amêndoa é um dos ingredientes que compõem a barra energética

Uma barra energética feita totalmente no concelho de Loulé e com produtos locais foi ontem, terça-feira, lançada pela equipa do “Projecto Querença” que pretende apostar também na exportação, disse à Lusa o coordenador do projecto João Ministro.

“Chama-se BEQ, Barra Energética de Querença e tem como ‘slogan’: energia natural do Algarve”, contou aquele responsável, sublinhando que a barra é livre de conservantes ou corantes e tem como principais ingredientes a amêndoa, o mel, o figo e a alfarroba e o sal marinho.

O “Projecto Querença” arrancou em 2011, adoptando o nome da freguesia onde decorre e procura combater o despovoamento do interior algarvio e ajudar jovens a criar novos produtos ou empresas e contribuir para a economia local.

“Temos a percepção que pode efectivamente ir lá para fora [estrangeiro]”, afirmou João Ministro, acrescentando que o crescimento que se tem registado a sentir nas actividades desportivas como o BTT e o atletismo fazem acreditar que existe uma oportunidade.

O produto vai agora ser apresentado em vários eventos desportivos e já está a receber encomendas nacionais mas também de empresas estrangeiras relacionadas com a área desportiva e em breve deverá estar à venda em estabelecimentos comerciais.

João Ministro contou que a Câmara de Loulé já manifestou interesse em ter a BEQ nos eventos que decorrem no concelho no âmbito da iniciativa “Loulé, Cidade Europeia do Desporto 2015”.

Barra começou a ser trabalhada em 2011

A BEQ começou a ser trabalhada em 2011 por elementos da primeira equipa do Projecto Querença em colaboração com o departamento de engenharia alimentar da Universidade do Algarve.

Em 2012 foram feitos os primeiros testes junto do público mas a fórmula ainda não estava concluída e foi Romilson de Brito, um dos elementos do segundo grupo do Projecto Querença que veio a terminar a fórmula.

As barras estão a ser produzidas com uma pastelaria louletana que tem colaborado com o Projecto Querença desde o primeiro momento.

Em curso estão ainda os estudos nutricional, de prateleira e de desenvolvimento da marca, e, segundo João Ministro, os próximos passos poderão passar pela concepção de novos produtos e a criação de uma empresa.

“Se isto acontecer, é um projecto que a médio prazo pode mexer muito com a comunidade local porque vamos precisar de alfarrobas e de amêndoas”, e responderá aos objectivos do Projecto Querença de criar oportunidades de trabalho e dar novo impulso à actividade agrícola do interior, observou João Ministro.

A BEQ foi apresentada oficialmente durante o evento “Fruteiras Tradicionais do Algarve – Tradição e Inovação” onde decorreu a entrega de prémios do concurso “Valores do Território” lançado por várias entidades algarvias com o intuito de premiar ideias que valorizem o pomar de sequeiro e os frutos secos.

A Barra Energética de Querença obteve o primeiro lugar neste concurso tendo por isso recebido um prémio monetário de 2.000 euros que João Ministro contou que vão ser investidos nos estudos que estão em curso.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook