ACRAL realça importância da pós-graduação em Dieta Mediterrânica da UAlg

ACRAL realça importância da pós-graduação em Dieta Mediterrânica da UAlg

478
PARTILHE
Presidente da ACRAL vê aposta da UAlg como mais um passo que pode ser aproveitado pela economia real
Presidente da ACRAL vê aposta da UAlg como mais um passo que pode ser aproveitado pela economia real

A criação na Universidade do Algarve (UAlg), já no próximo ano lectivo, de uma pós-graduação em Dieta Mediterrânica é para o presidente da associação empresarial ACRAL, Victor Guerreiro, “um passo fundamental na consolidação da região como porta-estandarte da classificação de Portugal enquanto Património Imaterial da Humanidade no âmbito da Dieta Mediterrânica”.

“Temos de realçar esta iniciativa da Universidade do Algarve enquanto resposta prática à necessidade de criar no terreno condições para o máximo aproveitamento da classificação da UNESCO atribuída a Portugal e que tem como comunidade representativa Tavira e, por via desta, o Algarve”, refere o presidente da ACRAL.

“É esta a postura que a ACRAL vem defendendo desde a tomada de posse da actual direcção. Uma postura proactiva que encontra soluções e as realiza, não se ficando pelo eterno estudo e análise dos problemas e necessidades”, refere Victor Guerreiro.

“Vemos esta aposta da universidade como mais um passo que pode efectivamente ser aproveitado a curto/médio prazo pela economia real para valorizar a classificação atribuída pela UNESCO. Considero que o processo de aproveitamento efectivo desta potencialidade continua a dar sinais de fraca consistência, em particular ao nível da comunicação e consciencialização para a mais-valia da classificação e ao nível da ligação entre a distinção atribuída a Portugal e o tecido económico e produtivo, nomeadamente o regional”, realça o responsável associativo.

No caso da ACRAL, diz Victor Guerreiro, “o lançamento do projecto Produto Algarve, nas suas vertentes de certificação e de potenciador da exportação de produtos regionais, está, também, a pôr em prática um meio efectivo de valorização dos produtos regionais, muitos deles representativos das tradições produtivas, transformadoras e de consumo da Dieta Mediterrânica”.

Para a ACRAL, “o aproveitamento da universalidade cultural e identitária que constitui a Dieta Mediterrânica tem de ser reforçado do ponto de vista prático, o que sem pôr em causa a importância dos estudos e desenvolvimento de estratégias de conservação da realidade patrimonial imaterial em causa, deve ser encarado como um dos desafios principais da implementação da classificação de Património Imaterial da Humanidade como um factor distintivo da região do Algarve”.

Facebook Comments

Comentários no Facebook