Famílias portimonenses e imigrantes abriram portas à ‘Família do Lado’

Famílias portimonenses e imigrantes abriram portas à ‘Família do Lado’

533
PARTILHE
A família Franco, de nacionalidade  portuguesa, abriu as portas da sua casa a um casal de angolanos
A família Franco, de nacionalidade portuguesa, abriu as portas da sua casa a um casal de angolanos

No passado domingo, famílias portimonenses e imigrantes aderiram à iniciativa “Família do Lado” e abriram as portas das suas casas a outras famílias que não conheciam para a realização de um almoço convívio, típico da sua cultura de origem, como forma de acolhimento do “outro”.

O desafio foi lançado pela Câmara de Portimão que, no âmbito do Plano Municipal para a Integração do Imigrante e em parceria com o Programa Escolhas – Mergulha Por ti (mão) do Agrupamento de Escolas Eng. Nuno Mergulhão, aderiu pela primeira vez à “Família do Lado”, uma iniciativa do Alto Comissariado para as Migrações centrada na hospitalidade entre famílias e na integração dos cidadãos/ãs imigrantes na sociedade portuguesa.

Portimão foi a segunda cidade do país que registou o maior número de famílias participantes na iniciativa, tendo sido constituídos seis pares de famílias – uma imigrante e outra autóctone (ou vice-versa) para um almoço de domingo bem diferente que envolveu não só um total de 13 famílias de nacionalidade portuguesa, angolana, brasileira, búlgara, moldava e ucraniana residentes em Portimão como também assistentes – voluntários que acompanharam estas famílias em todo o processo.

À mesa não só foram partilhadas iguarias gastronómicas de cada país como hábitos e costumes de cada um, num momento de especial convívio que abriu caminho para novas amizades e futuros encontros, aproximando culturas e fomentando a integração e o acolhimento local.

As famílias que aderiram à iniciativa “Família do Lado”

A família Franco de nacionalidade portuguesa abriu as portas da sua casa a um casal de angolanos. À mesa: pataniscas de berbigão e carapaus alimados; polvo no forno e como sobremesa: salada de frutas e arroz doce.

A família Espada de nacionalidade portuguesa foi a família anfitriã que acolheu na sua casa uma família brasileira – um casal e dois filhos jovens universitários. À mesa: coxinhas de galinha à brasileira e tâmaras com bacon; bacalhau espiritual, rolo de carne com castanhas e salada e como sobremesas: tarte de limão, tarte de canela e gelados.

A família Nunes de Jesus de nacionalidade brasileira recebeu em sua casa uma família portuguesa unipessoal. À mesa: Feijoada à brasileira; sobremesas – arroz doce, pudim Olivier, brigadeiro de colher.

A família Coelho de nacionalidade portuguesa acolheu para o almoço de domingo um casal de brasileiros. À mesa: pataniscas de bacalhau, pate de atum e salmão, queijo alentejano; cozido à portuguesa e pudim de ovos como sobremesa.

A família Pelipts de nacionalidade moldava recebeu em sua casa não uma, mas duas famílias- uma portuguesa e outra ucraniana.

À mesa: salada de Polvo e outras especialidades ucranianas e moldavas; Carne assada; Plashinda ( massa recheada e frita) especialidade Moldava, feijoada, frango com cenoura e outras especialidades ucranianas e moldavas.

Facebook Comments

Comentários no Facebook