ETARs do Algarve com investimento assegurado

ETARs do Algarve com investimento assegurado

635
PARTILHE
ETAR em construção
Nova ETAR da Companheira é uma das infra-estruturas que tem investimento garantido através de fundos do Banco Europeu de Investimentos

As Estações de Tratamento de Águas Residuais do Algarve (ETARs) a serem construídas pela empresa Águas do Algarve (AdA) nos próximos anos vão ter parte do financiamento assegurado por fundos do Banco Europeu de Investimentos (BEI).

A empresa mãe da AdA, a Águas de Portugal, vai receber do BEI uma parte importante do valor que pretende investir através da AdA no Algarve nos próximos cinco anos, sendo que o empréstimo assegura também investimentos na região do Alentejo.

Ao todo são 800 milhões de euros de investimentos na calha a serem realizados pelo grupo Águas de Portugal, que o BEI vai financiar em 50%.

Recorde-se que só em Faro, Olhão e Portimão a AdA prevê investir 24,9 milhões de euros. São 14,5 milhões de euros de investimento previsto numa das maiores ETARs a região a ETAR de Faro / Olhão, que substituirá as ETARs de Faro nascente e Olhão poente, a que acresce o investimento na ETAR da Companheira em Portimão, esta adjudicada por cerca de 10,4 milhões de euros.

As duas infra-estruturas receberão ainda os esgotos oriundos das populações de Alvor, Mexilhoeira Grande, Ferragudo, Parchal, Estômbar, Calvário, Mexilhoeira da Carregação, Brejão, Caldas de Monchique, no caso da ETAR da Companheira, e das localidades de Conceição, Estoi, São Brás de Alportel, Pechão e Quelfes, no caso da ETAR Faro/Olhão.

As duas ETARs estão pensadas, cada uma, para recolher os esgotos de uma população estimada em 140 mil habitantes.

Onde ficam as novas ETARs

A ETAR Faro/Olhão nascerá a poente da capital da região, na zona da actual ETAR de Faro Nascente que será desactivada quando a nova infra-estrutura entrar em funcionamento, acontecendo o mesmo à ETAR de Olhão Poente.

O equipamento será, dados os avanços tecnológicos, bem mais pequeno em área do que a actual ETAR de Faro Nascente e a sua instalação vai levar à remoção de equipamentos e lamas existentes actualmente no local, com estas últimas a serem tratadas e depositadas em aterro adequado para o efeito.

Com o encerramento da ETAR de Olhão Poente, os esgotos que ali afluíam passarão a ser transferidos por um colector para a nova estrutura de tratamento de águas residuais junto à cidade de Faro.

Quanto à ETAR da Companheira, ficará situada junto à ponte sobre o Rio Arade da Estrada Nacional 125, numa área de cerca de quatro hectares, situada a norte da actual ETAR da Companheira, que será desactivada com a entrada em operação da nova estrutura, prevista para 2017.

A revelação do empréstimo do BEI foi feita pelo presidente da Águas de Portugal, Afonso Lobato de Faria, no final da audição que teve lugar na Comissão de Ambiente realizada na Assembleia da República a 19 de Janeiro.

aguas

 

Facebook Comments

Comentários no Facebook