Ameixial atribui apoio à natalidade

Ameixial atribui apoio à natalidade

499
PARTILHE
Cada família que tenha um novo descendente nascido a partir de 2016 recebe 2.500 euros de fora faseada
Cada família que tenha um novo descendente nascido a partir de 2016 recebe 2.500 euros de forma faseada

A Junta de Freguesia do Ameixial, no concelho de Loulé, está a atribuir um apoio à natalidade de 2.500 euros com vista à fixação de população naquela que é uma das freguesias mais interiores e desertificadas do Algarve.

O presidente da junta de freguesia, Abílio Sousa, disse à Lusa que esta é uma medida integrada num plano a médio prazo de fixação de população jovem naquela freguesia, que tem uma população de cerca de 450 pessoas, 80% das quais com mais de 45 anos.

Cada família residente no Ameixial que tenha um novo descendente nascido a partir de 2016 poderá requerer o apoio cuja verba será faseada, ou seja, mil euros quando a criança nasce, outros mil euros quando completa um ano e 500 euros quando completa o segundo aniversário, desde que se confirme a permanência na freguesia.

“Sentimos necessidade de criar um incentivo à natalidade uma vez que não nascem crianças todos os dias no Ameixial e que, de alguma forma, queríamos que, a médio prazo, [fosse possível] reabrir a escola primária”, explicou Abílio Sousa.

Plano de fixação passa também pela criação de emprego

O plano de fixação de população na freguesia passou também pela criação de emprego, cujo primeiro passo foi a construção de um lar de terceira idade e, ainda este ano, a junta de freguesia conta disponibilizar o regulamento para a criação de um ninho de empresas, assim como a estimulação de negócios relacionados por exemplo com o turismo rural.

Abílio Sousa contou que 80% dos trabalhadores do lar de terceira idade da freguesia têm idades inferiores aos 35 anos.

“Alguns ainda não têm filhos e esta é uma forma de tentar segurar essa gente que tem ali emprego”, observou.

Apesar de ter um orçamento “devidamente planeado” para estes apoios à natalidade, Abílio Sousa sublinha: “quem me dera ter a dificuldade de arranjar financiamento porque era sinal que estavam a nascer muitas crianças na freguesia”.

Para já, as previsões são da atribuição do apoio a três ou quatro crianças durante o primeiro semestre deste ano.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook