Bloco de Esquerda acompanha inoperacionalidade do Polo de Saúde de Bordeira

Bloco de Esquerda acompanha inoperacionalidade do Polo de Saúde de Bordeira

433
PARTILHE
O próximo Domingo é o dia escolhido para a apresentação do livro de João Vasconcelos
João Vasconcelos acompanha de perto a situação de Bordeira e não deixa de questionar o Governo de forma alargada sobre várias questões que envolvem o polo de saúde local

O Bloco de Esquerda (BE) levantou junto do Ministério da Saúde um conjunto de questões relativas ao Polo de Saúde de Bordeira – em Faro – cujo funcionamento está em causa devido a um problema técnico de ligação do serviço à base de dados do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

As questões enviadas ao ministério através da Assembleia da República pelo deputado João Vasconcelos, eleito pelo Algarve nas listas do partido, deixam clara a preocupação do BE relativamente à situação criada aos cidadãos da localidade do concelho de Faro.

João Vasconcelos, citado pelo BE, afirma tratar-se de “uma unidade de saúde importante para a população, prestando um serviço de proximidade que não deve ser descurado. O parlamentar algarvio considera ainda ser necessário e certamente possível encontrar uma solução adequada a esta extensão de saúde, de modo a que possa funcionar com normalidade”.

Nas questões dirigidas à tutela da saúde o BE destaca que “neste momento, o polo de saúde da Bordeira está inoperacional, devido a uma formalidade técnica: é necessário aprovar a ligação à base de dados do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para que seja possível o normal funcionamento desta unidade de saúde”.

Nas questões o partido vai mais longe e aproveita o momento para colocar ao ministério várias dúvidas que deseja ver esclarecidas, nomeadamente, se “O Governo tem conhecimento da situação exposta?”, se “O polo de saúde da Bordeira vai entrar em funcionamento? Quando prevê o Governo que tal vá acontecer?” e “Quantos utentes são servidos pelo polo de saúde da Bordeira? Destes, quantos não têm médico de família?”.

Ainda dentro das perguntas dirigidas à tutela o BE inclui, “Atendendo ao número de utentes das unidades de saúde do Centro de Saúde de Faro, qual deveria ser o quadro de pessoal (médicos, enfermeiros, auxiliares…)? Qual é actualmente o quadro de pessoal?” e “Quantas pessoas exercem funções nas unidades do Centro de Saúde de Faro ao abrigo de contratos de emprego inserção (CEI) ou CEI+?”.

Facebook Comments

Comentários no Facebook