Castro Marim e Vila Real explicam aos turistas como entrar no Algarve...

Castro Marim e Vila Real explicam aos turistas como entrar no Algarve sem pagar portagens

957
PARTILHE
O outdoor que explica que saídas utilizar na A22 para não pagar portagens está colocado à saída da Ponte Internacional do Guadiana no acesso à A 22
O outdoor que explica que saídas utilizar na A22 para não pagar portagens está colocado à saída da Ponte Internacional do Guadiana no acesso à A 22

As autarquias de Vila Real de Santo António e Castro Marim iniciaram hoje uma campanha de esclarecimento junto à Ponte Internacional do Rio Guadiana, no sentido de informar os condutores que entram em Portugal pela fronteira do Algarve que não existe necessidade de efectu

ar qualquer pagamento para circular nos trajectos que servem as duas primeiras saídas da auto-estrada (Castro Marim/VRSA e Altura/Monte Gordo).

A acção dos dois municípios tem como principal suporte de comunicação um outdoor colocado à saída do tabuleiro da ponte do Guadiana, ainda antes dos pórticos de pagamento, esclarecendo os milhares de espanhóis e de turistas estrangeiros que chegam a Portugal que existem alternativas gratuitas à auto-estrada. O outdoor tem indicações bilingues em castelhano e inglês.

A medida responde ao apelo de centenas de empresários e comerciantes que se vinham queixando da falta de resposta e informação da Infraestruturas de Portugal e da concessionária da A22, entidades que instalaram pórticos de pagamento para veículos de matrícula estrangeira ainda na área gratuita da auto-estrada, induzindo os automobilistas em erro.

Trata-se de mais uma medida de comunicação e esclarecimento levada a cabo por autarquias algarvias em resposta às portagens da A22, sendo que os turistas que optem por sair nas duas saídas não portajadas poderão depois circular pela EN 125 sem qualquer portagem até qualquer destino no Algarve.

Segundo Luís Gomes, presidente da Câmara de Vila Real, “o que pretendemos é repor a justiça e informar todos os condutores que não há necessidade de pagar portagens na A22 para circular até às saídas de Castro Marim/Vila Real de Santo António ou de Monte Gordo/Altura. Esta é uma justa e já antiga reivindicação das Câmaras Municipais que nunca foi atendida pela concessionária, pelo que se impunha partirmos para uma campanha de divulgação autónoma”.

Já Francisco Amaral, autarca de Castro Marim, adianta que “as relações transfronteiriças entre os dois países são muito importantes para a dinâmica social, cultural e económica dos três concelhos do Baixo Guadiana. Com as portagens, introduziram-se algumas dificuldades na passagem da fronteira, que esperamos agora esclarecer e atenuar”.

Esta campanha é lançada algumas semanas antes da Páscoa, altura em que milhares de espanhóis se deslocam ao Algarve em férias ou em actividades de lazer, esclarecendo, de forma eficaz, as condições de circulação gratuita na A22.

A acção, refere a nota informativa, “tem ainda como objectivo preservar os fluxos do comércio e da hotelaria das zonas de fronteira do Algarve, muito procuradas pelos espanhóis residentes na zona da Andaluzia, informando os visitantes que tudo se mantém como dantes para chegar até aos municípios portugueses mais próximos”.

O passo seguinte passa pela distribuição de informação junto dos meios de comunicação social da Andaluzia, à semelhança do que já foi efetuado pelas autarquias do Baixo Guadiana aquando da introdução de portagens na Via do Infante, em 2011.

Facebook Comments

Comentários no Facebook