Albufeira promove cultura durante o mês de Maio

Albufeira promove cultura durante o mês de Maio

580
PARTILHE
“Do abstracto ao Figurativo” é uma exposição de pintura de três artistas algarvios
“Do abstracto ao Figurativo” é uma exposição de pintura de três artistas algarvios

Albufeira é palco, todos os meses, das mais variadas exposições artísticas. Pintores, escultores, fotógrafos e ilustradores divulgam as suas obras nos espaços culturais do concelho.

Desde o dia 22 de Abril e até 21 de Maio, a Galeria Municipal de Albufeira acolhe a exposição de pintura e escultura “Do abstracto ao Figurativo”, de Henrique Silva, Martins Leal e Marisa Patrício. Nesta mostra colectiva, três artistas algarvios apresentam ao público telas e esculturas que versam sobre a linha abstracto-
figurativa.

Até ao próximo dia 7, a Galeria de Arte Pintor Samora Barros exibe a mostra temática “BeberArte”, da Confraria de Bacchus de Albufeira. A mostra integra serigrafias, litografias, gravuras e posters pertencentes à colecção particular de Ragnhild Olsen, uma enófila norueguesa que tem dedicado grande parte do seu tempo a reunir obras artísticas conotadas com o vinho e a cultura a ele associadas. Às quintas-feiras, a partir das 18.30 horas, os visitantes são convidados a participar na degustação de vinhos, ao som da música e da poesia.

“mourasencantadas” é uma mostra de Sofia Pinto Correia
“mourasencantadas” é uma mostra de Sofia Pinto Correia

De 10 a 30 de Maio, a Galeria de Arte localizada na baixa da cidade passa a acolher a mostra “mourasencantadas”, de Sofia Pinto Correia, onde se podem encontrar bonecas ilustrativas de mouras encantadas, confeccionadas e pintadas pela artista. Sofia Pinto Correia nasceu em Lisboa, em 1968, e na área da pintura tem formação pela Sociedade Nacional de Belas Artes. De 1992 até à data realizou diversas exposições colectivas e individuais.

Entretanto, o edifício da Câmara Municipal tem patente a exposição “Labirinto Onírico”, de Monika Matias. A pintora nasceu em Bruxelas e estudou na Academie Royale des Beaux-Arts, tendo concluído a licenciatura com louvor. Os seus quadros integram diversas colecções particulares em Portugal, Suíça, Alemanha, Bélgica e Polónia.

 “Fotografia de Autor” é o mais recente trabalho de Inês Silva
“Fotografia de Autor” é o mais recente trabalho de Inês Silva

A Biblioteca Municipal Lídia Jorge também vai ser palco de uma exposição, mas de fotografia. “Fotografia de Autor” é o mais recente trabalho de Inês Silva, que estará patente ao público de 4 a 24 de Maio. Natural de Faro, a artista está a concluir o Curso Técnico de Fotografia e a preparar-se para entrar no mercado de trabalho. O objectivo da mostra é expor alguns pensamentos e sentimentos controversos em relação à sociedade e alertar para problemáticas actuais como o consumismo, a dependência, a violência, a poluição e a necessidade de criar estereótipos.

A partir do próximo dia 3 e até dia 1 de Julho vai ser possível apreciar a mostra de desenho “Percurso Colorido”, de Fernanda Nogueira, no primeiro andar do edifício da Câmara Municipal. A artista privilegia o lápis de cor, potenciando as suas possibilidades no que respeita à cor, à sobreposição e intercepção de imagens, ao efeito de transparência, ao contraste luz/sombra, criando a ideia de dinamismo. Muito embora tenha criações suas, alguns desenhos são homenagens a pintores que admira.

“Portugal, de George Landmann” revela um conjunto de reproduções de paisagens de Portugal
“Portugal, de George Landmann” revela um conjunto de reproduções de paisagens de Portugal

Já o Museu Municipal de Arqueologia exibe uma mostra até ao próximo dia 29 de Maio. “Portugal, de George Landmann” revela um conjunto de reproduções de paisagens do nosso país, criadas a partir dos originais de George Landmann. Natural de Londres, Landmann ingressou na Real Academia Militar com 13 anos de idade.

Em 1805 foi para Gibraltar e, depois, para Portugal, como comandante da Academia Real de Engenharia. Durante esse período pintou diversas panorâmicas de Portugal, nomeadamente do Algarve, interior alentejano, Vales do Tejo e Sado, região de Lisboa, Beira Litoral, Douro e Minho. A riqueza iconográfica e o pormenor das águas-tintas constituem verdadeiros documentos históricos e artísticos das cidades e vilas portuguesas do século XIX.

Facebook Comments

Comentários no Facebook