BE Algarve questiona Governo sobre carências no Centro de Saúde de Olhão

BE Algarve questiona Governo sobre carências no Centro de Saúde de Olhão

557
PARTILHE
Dados resultam de um estudo efectuado entre 2009 e 2013 nos 308 concelhos do país
O Centro de Saúde tem registado falta de médicos, enfermeiros, assistentes operacionais

O Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre quais as medidas que estão a ser implementadas para fazer face aos constrangimentos registados no Centro de Saúde de Olhão, nomeadamente no que concerne à contratação de pessoal em falta, na substituição do equipamento informático obsoleto e nas necessárias obras de manutenção.

O Centro de Saúde, que tem como unidades associadas, as unidades de saúde familiar Mirante e Âncora e as unidades de saúde personalizados Olhão, com pólos na Fuzeta, Pechão e Moncarapacho, têm registado falta de médicos, enfermeiros, assistentes operacionais.

“Estas carências agudizam-se quando há profissionais que têm de ausentar-se, seja por motivo de férias ou doença. A somar às inúmeras situações constrangedoras por falta de profissionais de saúde, à a agravante deste ter estar munido de equipamentos informáticos obsoletos, os quais falharem com frequência”, referiu a estrutura regional do partido em nota de imprensa.

Assim, os deputados do Bloco, questionaram esta quinta-feira o Governo, através do Ministério da Saúde, sobre qual deveria ser o quadro de pessoal (médicos, enfermeiros e assistentes operacionais) necessário para o normal funcionamento do Centro de Saúde de Olhão e se estão a ser  tomadas medidas para substituir os equipamentos obsoletos, designadamente o material informático.

Facebook Comments

Comentários no Facebook