Mãe Soberana regressa à sua ermida no domingo

Mãe Soberana regressa à sua ermida no domingo

149
PARTILHE
Após a saída da Igreja de São Francisco, a procissão percorre as ruas do centro de Loulé
Após a saída da Igreja de São Francisco, a procissão percorre as ruas do centro de Loulé

Loulé recebe no próximo domingo a maior manifestação de fé a sul de Fátima, a Festa Grande da Mãe Soberana, que constitui o ponto alto das celebrações em honra de Nossa Senhora da Piedade, Padroeira da Cidade.

Durante esta semana serão várias as iniciativas que fazem parte do programa de celebrações. A partir da próxima quinta-feira e até sábado, pelas 21 horas, na Igreja de S. Francisco, tem lugar o Tríduo Solene em honra de Nossa Senhora da Piedade, que terá como pregador o padre António Elísio de Freitas. No sábado que antecede a Festa, é também celebrada uma eucaristia às 10, 18 e 21 horas.

Como é tradição, o Clube Hípico de Loulé presta homenagem à Nossa Senhora da Piedade, no Largo de S. Francisco, às 22 horas.

As grandes emoções para todos o crentes e devotos da Mãe Soberana estão guardadas para o domingo, dia em que a cidade acordará ao som de uma alvorada de foguetes. Às 10 horas, terá lugar o primeiro momento religioso, com a celebração de uma eucaristia no Largo de S. Francisco.

- Pub -

Uma hora mais tarde, a imagem de Nossa Senhora da Piedade sai em procissão para o Largo do Monumento Engº Duarte Pacheco, acompanhada pela Banda da Casa do Povo de Lavre (Montemor-o-Novo). É junto ao Monumento que, às 12 horas, se realiza mais um momento litúrgico, seguido de um tempo de louvor e saudação à Nossa Senhora da Piedade.

Festa engloba as vertentes religiosa e profana

À missa campal celebrada pelo Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, pelas 16 horas, junto ao Monumento Engº Duarte Pacheco, segue-se a consagração a Nossa Senhora da Piedade e o início da grande procissão que percorrerá as principais ruas da cidade, acompanhada pela Banda Filarmónica Artistas de Minerva.

Várias iniciativas integram o programa de celebrações durante esta semana
Várias iniciativas integram o programa de celebrações durante esta semana

Às 18 horas, tem lugar o encerramento da procissão litúrgica no Largo de S. Francisco, iniciando-se então a subida para o Santuário. Oito homens carregam o andor, vestidos de calças e opas brancas, acompanhados por duas tochas, sobem o íngreme cerro, ao ritmo acelerado da música da Banda Filarmónica Artistas de Minerva, acompanhados pela população a exibir-se em manifestações diversas mas verdadeiramente sentidas. A escalada do caminho que dá acesso ao altar da Nossa Senhora da Piedade é um documento espantoso da fé cristã nesta terra. Ao esforço gigantesco dos homens que transportam a Virgem, alia-se a força espiritual dos muitos fiéis que, em vivas à Nossa Senhora, em passo vivo e na cadência musicada dos homens da banda, vão “empurrando”, no calor da fé e calçada acima, o pesado andor da padroeira.

As festividades terminam com um espectáculo de fogo-de-artifício, junto à Ermida da Nossa Senhora da Piedade, pelas 23 horas.

Recorde-se que esta tradição que remonta ao século XVI constitui a principal manifestação religiosa a Sul de Fátima e, nesse sentido, é também um cartaz turístico para a cidade de Loulé e região algarvia.

A Festa Grande da Mãe Soberana constitui o ponto alto das celebrações
A Festa Grande da Mãe Soberana constitui o ponto alto das celebrações

Nesta demonstração de grande culto pela fé existem duas vertentes distintas: a religiosa, no seu mais sentido significado, e a profana, na mais ampla e liberal exteriorização popular. Este cenário imenso da religiosidade louletana, de características tão locais como únicas, só pode ser sentido na alma de cada crente, quando vivido. Uma vivência feita de fervor religioso e de testemunho cristão, cuja explicação reside unicamente na essência dogmática da própria fé.

- Pub -
PARTILHE
Email: jornalpostal@gmail.com