Conselho Regional do Algarve opõe-se à prospeção e exploração de gás e...

Conselho Regional do Algarve opõe-se à prospeção e exploração de gás e petróleo

366
PARTILHE
Vítor Aleixo, presidente do Conselho Regional do Algarve e da Câmara de Loulé
Vítor Aleixo, presidente do Conselho Regional do Algarve e da Câmara de Loulé

O Conselho Regional do Algarve manifestou na sua reunião de ontem a sua total oposição à prospecção e exploração de gás e petróleo no Algarve, em Terra ou no Mar.

O Conselho Regional, presido por Vítor Aleixo, também presidente da Câmara de Loulé regista e saúda com agrado “a crescente afirmação de um forte movimento de opinião pública contrário à exploração de hidrocarbonetos fósseis na Região. Um movimento que envolve forças sociais e cidadãos anónimos, empresas e associações empresariais, municípios e a sua Associação, forças políticas dos vários quadrantes, associações de defesa da Natureza e do Ambiente, associações culturais e de desenvolvimento local, personalidades da região. Todos preocupados com as gravíssimas consequências ambientais, económicas e sociais que poderiam advir de uma eventual exploração de combustíveis no Algarve, em Terra ou no Mar”.

Segundo se pode ler no comunicado enviado à nossa redacção, o Conselho Regional “considera com convicção que, em termos ambientais, a exploração de gás e petróleo no Algarve constituiria um desastre para a região destruindo a sua imagem de marca e um atentado à qualidade de vida das populações”.

Conselho Regional alerta para a necessidade de esclarecimento da opinião pública

Considera também que “em termos económicos, seria um erro histórico imperdoável, pôr em causa, ou pior ainda, trocar um recurso e uma actividade económica consistente – que é o Turismo – que é o principal sector e gera riqueza concreta para a região e para o país, por uma hipótese incerta, de horizontes limitados e em declínio nos vários continentes. Pondo também em causa outros sectores económicos ligados aos extraordinários recursos da natureza, da Terra e do Mar”.

O Conselho Regional alerta, para além destas razões, “para a necessidade da continuação do esclarecimento da opinião pública e para o reforço da mobilização dos cidadãos, movimentos e associações da Região porque, apesar do aparente recuo de algumas posições, subsistem ambiguidades das entidades responsáveis, e até iniciativas ambíguas que podem ter como objectivo adormecer as vozes opositoras e desmobilizar a luta, para criar situações irreversíveis e factos consumados”.

“Não nos iludamos: ninguém investe milhões em prospecções sem a perspectiva da exploração!”, pode ler-se no comunicado assinado por Vítor Aleixo.

O Conselho Regional apela, pois, “para a continuação da mobilização da opinião pública e dispõe-se a apoiar as iniciativas que tenham como objectivo travar o processo irresponsável de prospecção e exploração de gás e petróleo no Algarve, em Terra ou no Mar”.

O Conselho Regional considera ainda que na região do Algarve “se deve apostar, sem tibieza, nas energias renováveis, em especial na energia solar, eólica e das marés, que são as energias de futuro e que manterão o Algarve ambientalmente sustentável e de excelência ambiental e patrimonial”.

Facebook Comments

Comentários no Facebook