PSD pergunta ao Governo se vai suspender portagens na A22

PSD pergunta ao Governo se vai suspender portagens na A22

629
PARTILHE
Deputados do PSD querem que portagens na Via do Infante sejam suspensas enquanto decorrem obras na EN 125
Deputados do PSD querem que portagens na Via do Infante sejam suspensas enquanto decorrem obras na EN 125

Os deputados do PSD eleitos pelo Algarve questionaram ontem o Governo sobre se tenciona suspender a aplicação de portagens na A22 (Via do Infante) enquanto decorrem as obras de requalificação da Estrada Nacional (EN) 125, que atravessa a região.

O Parlamento aprovou na sexta-feira um projecto de resolução do PS para a redução das portagens nas antigas Scut (vias sem custos para o utilizador), mas os diplomas apresentados pelo PCP e BE para a abolição das portagens foram rejeitados, bem como a proposta do PSD e CDS-PP para a suspensão ou redução das portagens na A22 até estarem concluídas as obras na EN 125.

Em comunicado, os deputados social-democratas Cristóvão Norte e José Carlos Barros lamentam que o projecto tenha sido chumbado, apesar de se verificar “um aumento significativo da intensidade e volume de obras na EN 125”, o qual provocará, pelo menos, o encerramento de um troço de dez quilómetros, entre Maritenda e Fontainhas, pelo período de dois meses.

“Sabendo que há forças políticas que amparam o Governo e que publicamente se comprometeram com a abolição e que agora votam a favor da redução, dificilmente se compreende que não tenham acompanhado uma posição séria, construtiva e razoável, que melhoraria a vida dos cidadãos e não poria em causa a prazo a sustentabilidade financeira que as ex-Scut carecem”, lê-se no comunicado.

Parlamentares dizem que projectos aprovados não têm carácter vinculativo

Segundo os parlamentares, já que os projectos aprovados não têm carácter vinculativo, nem colidem com o objecto do projecto do PSD, é preciso “apurar em que medida o Governo é sensível para o avolumar deste problema, o qual ameaça de forma progressivamente mais violenta a mobilidade, a segurança e a economia regional”.

Em declarações à Lusa, Cristóvão Norte referiu que pode discutir-se se a EN 125 é uma alternativa válida à A22, se a EN 125 com obras significativas em curso é uma alternativa à A22, “mas seguramente não se poderá discutir se a EN 125 “representa essa alternativa quando a mesma estiver, como já foi anunciado [pela Infraestruturas de Portugal], encerrada”.

A introdução de reduções ou a eliminação das portagens nas antigas Scut A22, A23, A24 e A25 estiveram em debate na sexta-feira, no Parlamento, quatro anos após a introdução de portagens naquelas vias.

As portagens na A22 (que atravessa o Algarve), na A23 (Torres Novas-Guarda), na A24 (Viseu-Vila Real) e na A25 (Aveiro-Vilar Formoso) começaram a ser cobradas em Dezembro de 2011, sob a liderança do Governo PSD/CDS, que tomou posse em Junho desse ano.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook