Parlamento aprova proposta do PAN para acabar com os canis de abate

Parlamento aprova proposta do PAN para acabar com os canis de abate

465
PARTILHE
Iniciativa visa ajudar milhares de animais em risco
A lei dá um prazo de dois anos para que os Centros de Recolha Oficial de Animais estejam aptos a cumprir a proibição do abate de animais

O parlamento aprovou esta quinta-feira, por unanimidade, em votação final global, o fim do abate de animais errantes como forma de controlo da população, que passa a ser permitida apenas por motivos de “saúde ou comportamento”.

O texto final resulta de um processo iniciado há cerca de um ano a partir de uma iniciativa legislativa de cidadãos e de um projecto do PCP para a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais. No final da votação, o deputado do PAN, André Silva, aplaudiu de pé a alteração, tal como alguns cidadãos que se encontravam a assistir à sessão nas galerias.

“É proibido o abate ou occisão de animais por motivos de sobrepopulação, de sobrelotação, de incapacidade económica ou outra que impeça a normal detenção pelo seu detentor, em Centros de Recolha Oficial de Animais, excepto por motivos que se prendam com o seu estado de saúde ou comportamento”, prevê o diploma aprovado.

O “abate ou a eutanásia” de animais, nos casos em que for permitida, deve “ser realizada por médico veterinário” devendo “a morte ser imediata, indolor e respeitando a dignidade do animal”. A lei, que entra em vigor 30 dias após a publicação, dá um prazo de dois anos para que os Centros de Recolha Oficial de Animais estejam aptos a cumprir a proibição do abate de animais. Segundo o diploma, os animais acolhidos nestes centros e que não sejam reclamados no prazo de 15 dias “presumem-se abandonados e são obrigatoriamente esterilizados e encaminhados para a adopção”.

- Pub -

A lei prevê ainda que o Estado “assegure a integração de preocupações com o bem-estar animal no âmbito da Educação Ambiental desde o 1.º Ciclo do Ensino Básico” e, em conjunto com o movimento associativo e as organizações não-governamentais de ambiente e de protecção animal “dinamiza anualmente” campanhas contra o abandono.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook