Vêm aí temperaturas de Verão

Vêm aí temperaturas de Verão

427
PARTILHE
Ordenamento costeiro influência não só as questões do ordenamento do território e do ambiente, mas também afecta de forma directa a actividade económica, em particular na área do turismo
As alterações ao estado do tempo devem-se a um anticiclone a norte da Península Ibérica que vai trazer “ar quente e seco” do seu interior e do norte de África para Portugal

A semana vai ficar marcada por uma subida da temperatura em alguns locais do país, com o Alentejo e o Algarve a registarem mais de 30 graus já a partir de terça-feira, prevendo-se que sexta as temperaturas desçam novamente.

“A partir da tarde de hoje, o tempo melhora gradualmente (…) e a partir de amanhã [terça-feira] e até quinta-feira vamos ter céu pouco nublado ou limpo, o vento a soprar fraco e uma subida significativa da temperatura que se mantém até dia 09, mas dia 10 há uma descida novamente”, disse Ângela Lourenço, meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em declarações à Lusa.

Segundo Ângela Lourenço, o dia desta segunda-feira ainda vai ficar marcado com “alguma precipitação” sobretudo no litoral norte, mas a partir do final do dia já haverá uma mudança do estado geral do tempo. “Vamos assistir a uma subida das temperaturas relativamente significativa em alguns locais, em outros não será tanto. Estamos a falar de valores para amanhã [terça-feira] próximos dos 30 graus nos locais do litoral, por exemplo em Lisboa a previsão é de 31 graus, enquanto nas regiões do Alentejo já chegam hoje aos 30 e amanhã são acima: Évora chegará aos 34 e Beja aos 36”, explicou.

Segundo Ângela Lourenço as alterações ao estado do tempo devem-se a um anticiclone a norte da Península Ibérica que vai trazer “ar quente e seco” do seu interior e do norte de África para Portugal. Depois de três dias em que a previsão aponta para temperaturas já de verão, no dia de Portugal e de Camões, na sexta-feira, está prevista uma descida da temperatura máxima, de acordo com a meteorologista.

- Pub -

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê para o continente, e nas regiões norte e centro, céu geralmente muito nublado, tornando-se gradualmente pouco nublado a partir da tarde, com períodos de chuva, em geral fraca, mais provável no litoral e até ao meio da tarde. O vento soprará fraco, soprando temporariamente moderado de sudoeste durante a tarde.

Na região sul é esperado céu pouco nublado, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral oeste até ao início da manhã, enquanto o vento soprará em geral fraco do quadrante norte, soprando moderado durante a tarde, de noroeste no litoral oeste e de sudoeste na costa sul do Algarve.

Já as ilhas do grupo Central e Ocidental dos Açores estão sob ‘Aviso Amarelo’ devido à previsão de chuva, pontualmente forte e trovoadas. De acordo com o instituto, os grupos Ocidental (Flores e Corvo) e Central (Graciosa, São Jorge, Terceira, Pico e Faial) estão sob ‘Aviso Amarelo’ entre as 3 horas desta segunda-feira e as 3 horas de terça-feira devido à previsão de chuva, pontualmente forte, e trovoadas. Já no grupo Central, ilhas do Faial, Pico, Graciosa, Terceira e São Jorge.

De acordo com informação da delegação regional dos Açores do IPMA, “uma depressão com um sistema frontal associado condicionará o estado do tempo em todo o arquipélago, podendo provocar precipitação, pontualmente forte nas ilhas dos grupos Ocidental e Central”. Três concelhos em risco elevado de incêndio Três concelhos dos distritos de Castelo Branco, Santarém e Beja apresentam risco “Elevado” de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). De acordo com a informação disponível no ‘site’ do IPMA, estão em risco “Elevado” de incêndio os concelhos de Barrancos (Beja), Saradoal (Santarém) e Vila de Rei (Castelo Branco).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo. O cálculo é feito com base nos valores observados às 13 horas em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook