Enfermeiros denunciam ‘depósito’ de cadáveres em sala sem refrigeração no Centro de...

Enfermeiros denunciam ‘depósito’ de cadáveres em sala sem refrigeração no Centro de Saúde de VRSA

502
PARTILHE
O SEP refere que recentemente foram realizadas obras “propositadamente para a resolução deste problema, mas os corpos não cabem nas novas instalações, pelo que permanecem no mesmo sítio” (esta fotografia não corresponde ao local referido na notícia)

A Direcção Regional de Faro do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) enviou esta terça-feira um comunicado às redacções a denunciar a falta de condições do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António. No documento o SEP afirma que “os cadáveres, que aguardam transporte pelas funerárias, no Centro de Saúde de Vila Real de Santo António (VRSA), são “depositados” numa sala não refrigerada e sem outras condições, há anos”.

A mesma entidade refere que recentemente foram realizadas obras “propositadamente para a resolução deste problema, mas os corpos não cabem nas novas instalações, pelo que permanecem no mesmo sítio”.

Outro dos problemas levantados pela direcção é o facto de “para os corpos chegarem até esta sala terem de passar em frente ao bar, pelo meio de uma das unidades do Centro de Saúde, na presença de quem aguarda a vez para atendimento, chegando finalmente à sala que se situa em frente a um gabinete onde trabalham vários profissionais”.

O Sindicato garante que “o cheiro dos corpos em decomposição é insuportável” e exige “uma rápida resolução” por questões de “Saúde Pública, de condições de trabalho e de atendimento ao púbico e pelo tratamento digno que as pessoas falecidas e suas famílias merecem”.

- Pub -

Em declarações à Lusa o presidente da Administração Regional de Saúde do Algarve, Moura Reis, disse estar “surpreendido” com o alerta do sindicato, porque deu indicações no início de Julho para que fosse usada outra sala das instalações, mais espaçosa, com refrigeração e que não obriga ao transporte de cadáveres pelos corredores daquela unidade de saúde.

Moura Reis disse ter entrado em contacto esta quarta-feira com os responsáveis do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António, reiterando a indicação para a utilização de outra sala.

Questionado sobre a necessidade de obras que permitam uma área adequada para o acolhimento de cadáveres naquele Centro de Saúde, Moura Reis disse que o espaço é apenas de utilização temporária enquanto se aguarda a recolha pelas agências funerárias ou o encaminhamento imediato para o serviço de medicina legal, localizado em Faro.

Aquele responsável observou, ainda, que a morgue municipal dista cerca de 30 metros do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António e pode ser usada quando a capacidade do Centro de Saúde fica esgotada.

O sindicalista Nuno Manjua disse desconhecer a localização da morgue municipal e adiantou que os profissionais, até esta manhã, não teriam recebido indicações para o uso de outra sala no Centro de Saúde ou para o encaminhamento para a morgue.

(Com Ricardo Claro e Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook