Engenharia 1 recupera 250 quilómetros de aceiros e caminhos em Silves

Engenharia 1 recupera 250 quilómetros de aceiros e caminhos em Silves

666
PARTILHE
Intervenção do exército recuperou 250 quilómetros de vias estruturantes no combate a incêndios no concelho

O Exército Português terminou os trabalhos levados a cabo pelo Regimento de Engenharia n.º1 no concelho de Silves e que tiveram como objectivo operacionalizar estruturas de apoio à prevenção e ao combate aos incêndios florestais através da reabilitação/beneficiação e interligação de caminhos e aceiros florestais.

Os trabalhos desenvolvidos no terreno somam a reabilitação de 180 quilómetros de rede estruturante e cerca de 70 quilómetros de acessos e caminhos de transição secundários, destacando-se ainda a reabilitação e constituição de acessos a 32 pontos de água.

Nos oito meses e meio de trabalhos do corpo de engenharia militar foi possível intervir na área entre a Barragem do Arade (a oriente) e a localidade do Farelo (a ocidente), Herdade da Parra, freguesias de São Bartolomeu de Messines e São Marcos da Serra, criando áreas de proteção à cidade de Silves e áreas edificadas envolventes no interface Barrocal/Serra e garantir o acesso aos pontos de água nas localidades de Bastos, Monte da Corcha, Farelo e São Bom Homem, Perna Seca, Pereira, Funcho, Azilheira, Monte da Zorra, Perna Seca e Monte Telhado.

O protocolo celebrado entre o Exército e a Câmara de Silves, classificado pela autarquia como pioneiro a amplitude de trabalhos desenvolvidos e na área territorial abrangida, cria assim condições de base para que a rede de caminhos e aceiros de prevenção de incêndios florestais possa ser alargada. De facto a partir da rede agora operacional por força da intervenção dos meios militares podem ser estabelecidas faixas de gestão de combustíveis (FGC) adicionais em áreas estratégicas que poderão ser executadas pelo município ou por outras entidades, alargando e potenciando o que já existe no terreno.

- Pub -

Neste âmbito, refere a autarquia liderada por Rosa Palma, foram definidas pelo Serviço Municipal de Proteção Civil e Florestas (SMPCF) áreas preferenciais de actuação, que consubstanciam bolsas estratégicas que funcionarão como sectores “tampão” onde poderão ser posicionados em maior segurança meios de combate a incêndios florestais.

Linhas de cumeada permitem agora cruzamento de veículos de combate a incêndios

Máquinas de rasto do exército foram fundamentais na intervenção a cargo dos militares

Nessas áreas, procedeu-se à reabilitação de caminhos pelas linhas de cumeada que permitem o trânsito e cruzamento de duas viaturas, bem como a execução de faixas de protecção adjacentes a essas vias de circulação.

Foram ainda reabilitados caminhos/acessos de penetração secundários nos braços das principais linhas de cumeadas, com a criação de áreas de viragem/retorno para veículos e linhas para acesso apeado. Garantir o acesso a pontos de água estratégicos foi outra das preocupações, bem como a limpeza dos espaços contíguos envolventes.

“Esta iniciativa surgiu como consequência da relação estreita de cooperação existente entre estas duas entidades, relação essa que se intensificou no ano de 2015 e que permanecerá muito produtiva durante o ano de 2016, com a presença dos militares na serra, onde têm uma base logística temporária na Quinta Pedagógica de Silves e da necessidade em evitar e/ou minimizar as consequências de situações similares às verificadas nos grandes incêndios de 2003 e 2005, que devastaram o concelho de Silves e parte substancial do Barlavento Algarvio”, esclarece a autarquia.

Os trabalhos desenvolvidos pelos militares do Regimento de Engenharia n.º 1, sedeado em Tancos, realizados ao abrigo do “Plano de Actividade Civil do Exército Português”, foram coordenados pelos elementos do SMPCF, com o apoio da Unidade de Máquinas e Viaturas (UMV) e do Sector da Educação do Município que, em conjunto, garantiram a sustentação logística das operações, contando ainda com o apoio externo de várias associações e entidades, designadamente do Corpo de Bombeiros de Silves e de São Bartolomeu de Messines.

Entre os meios e recursos envolvidos nestes trabalhos, destaca-se o empenhamento de duas máquinas de rastos pesadas (tipo D6) do Exército, uma retroescavadora, um porta máquinas, uma viatura de transporte de combustível e uma viatura de apoio mecânico da autarquia e diversas viaturas do Corpo de Bombeiros de Silves e São Bartolomeu de Messines.

Facebook Comments

Comentários no Facebook