Olhão investe 1600 euros para ajudar projectos educativos de alunos do concelho

Olhão investe 1600 euros para ajudar projectos educativos de alunos do concelho

358
PARTILHE
“Trata-se de apoios que não representam quantias muito significativas, mas que para estes jovens constituem a possibilidade de poderem concretizar projectos muito importantes”, disse o presidente da autarquia

No seguimento da política do município de assumir a sua quota parte de parceria no apoio a projectos educativos no ensino secundário do concelho, foram apoiados no ano lectivo de 2015/2016 na Escola Secundária Francisco Fernandes Lopes três projectos, num investimento por parte da autarquia que ascendeu aos cerca de 1.600 euros.

“Trata-se de apoios que, do ponto de vista financeiro, não representam quantias muito significativas, mas que para estes jovens constituem a possibilidade de poderem concretizar projectos muito importantes, e que são uma mais-valia na sua formação, quer académica, quer profissional”, refere o presidente da Câmara de Olhão. “Termos projectos desta qualidade a representarem Olhão a nível nacional e mesmo internacional, é para nós um motivo de orgulho”, acrescenta António Miguel Pina.

Uma das iniciativas apoiadas está relacionada com o projecto Young Business Talents, da responsabilidade da multinacional Nivea, que consistiu na elaboração de um plano anual, constituído por um conjunto de decisões referentes a dois produtos específicos (solar e hidratante) desenvolvendo, assim, a aprendizagem prática na área da gestão.

Por intermédio de um simulador empresarial, as equipas tiveram que tomar todo o tipo de decisões referentes a uma empresa.

- Pub -

O Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes participou com 16 equipas no projecto, e a equipa “Os Homens”, constituída por Gabriela Viegas, Lúcia Santos e Goreti Soares, alunas do 1º ano do Curso Profissional de Secretariado, conquistou o acesso à grande final. Este projecto foi apoiado pela autarquia com cerca de 274 euros.

Outro dos projectos foi a competição Cansat, em que os alunos tiveram de construir um “satélite” com a forma de uma lata de refrigerante que foi lançado a um quilómetro de altitude nos ares da Praia de Santa Cruz, em Torres Vedras.

A competição Cansat Portugal é dinamizada pela Agência Espacial Europeia, pelo European Space Education Resource Office, pela Agência Ciência Viva e pelo AeroEspaço de Torres Vedras.

Pela terceira vez, os alunos da Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes chegaram à final da competição, desta vez com a equipa Camaleão8700, constituída pelos alunos Catarina Matos, Rita Gomes, Susana Castilho e Tiago José, da turma 12ºA, que conseguiram um lugar entre as 14 equipas nacionais seleccionadas. Este projecto foi apoiado em cerca de 880 euros pelo município.

Ao abrigo do projecto PEPA – Projecto de Escolas Piloto de Alemão, sustentado num protocolo de colaboração entre o Goethe Institut, a Associação Portuguesa de Professores de Alemão e as escolas associadas, nas quais se inclui a Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes, as professoras da disciplina de alemão do 11º ano candidataram duas alunas a uma bolsa de estudo de língua alemã com a duração de três semanas, na Alemanha.

Estas bolsas têm o patrocínio da Associação de São Bartolomeu dos Alemães, em Lisboa, e do Goethe Institut Portugal, entidades que deliberaram atribuir cinco bolsas a nível nacional. Duas dessas bolsas foram ganhas pelas alunas Beatriz Bartolomeu e Beatriz Caldeira.

A bolsa cobre os custos do curso bem como da estadia, não englobando, contudo, as despesas da viagem, que foram comparticipadas pela autarquia em 430 euros, possibilitando, assim, a estas jovens, cumprir o sonho de estudar uma língua estrangeira no respectivo país de origem.

Facebook Comments

Comentários no Facebook