Radares fixos só abrangem barlavento algarvio

Radares fixos só abrangem barlavento algarvio

4235
PARTILHE
O primeiro dos 30 radares do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) entrou hoje em funcionamento na autoestrada 5 (A5), que liga Lisboa a Cascais

Os três radares fixos do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) que cabem ao Algarve “vão ser instalados até Janeiro de 2017”, confirmou ao POSTAL fonte da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

O POSTAL está já em condições de avançar em primeira mão a localização dos equipamentos de forma facilmente identificável pelos condutores algarvios e que se situam na sua totalidade no barlavento algarvio.

Enquanto a comunicação social até ao momento só havia referido em abstracto a localização dos radares fixos a instalar no Algarve, identificando a localização dos mesmos nos quilómetros 28, 68 e 76 o POSTAL colocou mãos à obra e diz-lhe agora os locais abrangidos por este controlo.

Entre a rotunda de acesso à A22, Odiáxere e o Chinicato (ao quilómetro 28), estará um dos “temidos”. Numa zona onde já se verificavam várias mortes e na qual a existência de uma passagem aérea pedonal não parece ter sido suficiente para resolver o problema.

- Pub -

Estando ainda em construção uma rotunda naquela área que terá, entre outras funções, a de apaziguamento do tráfego. O que a juntar à instalação de radares potenciará a redução da sinistralidade no troço em questão.

A zona do Algarve Shopping (Guia, no quilómetro 68) será outra das abrangidas e, por fim, a zona da Patã de Cima, em direcção a Boliqueime (quilómetro 76) será mais uma das áreas controladas por estes verdadeiros ‘policias de trânsito’ que não têm folgas nem descanso.

Radares funcionaram em rotatividade

Serão três as caixas de radares fixos, ou melhor, são caixas de radar que ou têm o radar lá dentro, ou não, como referiu recentemente o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes. “Os 30 radares de controlo de velocidade não vão ser fixos, rodando, num sistema rotativo, nas 50 cabines, sendo a sua instalação aleatória”, afirmou.

24 sobre 24 horas os algarvios não poderão saber qual das três caixas terá no seu interior um radar de controlo de velocidade, uma vez que nem sempre estas caixas irão conter a famosa ‘máquina fotográfica’ que controla o atrevimento dos condutores quando chega à hora de carregar no pedal.

O primeiro dos 30 radares do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) entrou hoje em funcionamento na autoestrada 5 (A5), que liga Lisboa a Cascais. Esta é mais uma arma para combater a sinistralidade, que no caso da EN125, considerada uma das mais perigosas, permite tentar combater esta realidade.

Na mesma óptica, foi assinado há um mês atrás um protocolo de promoção de segurança rodoviária, o Plano Regional de Segurança Rodoviária, celebrado entre a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), “em que uma das medidas mais significativas é a articulação das infraestruturas camarárias ao nível da rede viária interior, no sentido de se poderem eliminar os pontos negros da sinistralidade das áreas urbanas dos 16 concelhos algarvios”, explicou ao POSTAL Jorge Botelho, presidente da AMAL.

(Com Ricardo Claro)

Facebook Comments

Comentários no Facebook