Luminárias novas da Rua Jornal o Algarve não funcionam há meses

Luminárias novas da Rua Jornal o Algarve não funcionam há meses

379
PARTILHE
As luminárias, com um design moderno, nunca funcionaram, desde Março

Aberto ao trânsito desde meados de Março, o segmento final da Rua Jornal O Algarve em Faro permitiu a ligação desta artéria da zona da Penha à Rua da Amendoeira, criando mais uma ligação no bairro farense há muito esperada pelos residentes do local.

No âmbito desta empreitada foram instalados no local novos candeeiros de iluminação pública (luminárias) no segmento de rua intervencionado, com um design moderno, mas que de nada servem desde então até ao momento, excepto para a felicidade de uma qualquer ave cansada que deles faça poiso.

As novas luminárias foram instaladas apenas no segmento da Rua Jornal o Algarve que foi requalificado. Neste mesmo segmento não existe iluminação pública alternativa

É que as luminárias nunca funcionaram, apesar de – de acordo com alguns residentes da zona em declarações ao POSTAL – “já estarem ligados à rede eléctrica”. “Estiveram cá uns trabalhadores a liga-los à electricidade, mas de nada serviu. Nunca funcionaram”, disse ao POSTAL uma moradora da rua.

Trânsito no arruamento não suporta dois sentidos 

Como se pode ver na imagem a largura da rua, com carros estacionados, apenas permite a passagem de um veículo de cada vez
- Pub -

A somar a esta dificuldade, no trânsito automóvel a situação da área alvo de requalificação também não é a melhor. A circulação na Rua Jornal O Algarve, entre a Rua Dr. José  Filipe Alvares e Rua da Amendoeira, depois das obras, ficou com dois sentidos de trânsito, ao contrário do resto da rua que apenas tem um sentido de circulação automóvel. Mas uma breve visita ao local permite concluir que a largura do arruamento não permite dois sentidos.

Ao POSTAL uma moradora do local relata que “os carros estão constantemente a fazer manobras de marcha-atrás porque ficam frente-a-frente e não se conseguem cruzar. O pior é junto ao cruzamento [com a Rua Dr. José  Filipe Alvares] em que as manobras obrigam os carros a recuar para o meio do cruzamento para que os que vão daqui possam passar e depois passarem os restantes que vêm em sentido contrário”.

Apesar do estacionamento parcial em cima do passeio não há largura da faixa de rodagem para permitir o cruzamento de carros

A solução passaria por definir um único sentido de trânsito na artéria o que seria relativamente pouco complexo dado que este segmento apenas tem um quarteirão de extensão e as vias paralelas, a este e oeste, permitem trânsito em ambos os sentidos.

As respostas da autarquia às situações

Contactada pelo POSTAL a autarquia esclareceu que a ligação das luminárias “que estão ligadas à rede eléctrica, efectivamente” está “apenas dependente da sua ligação ao posto de transformação, um trabalho que tem de ser realizado por uma empresa privada já que a EDP deixou de levar a cabo estas ligações”.

A autarquia esclarece que “estas ligações são contratadas a empresas privadas por pacotes de trabalhos a realizar e que a ligação das luminárias da Rua Jornal O Algarve está prevista para o próximo pacote a contratar a uma empresa especializada, o que fará com que a questão seja resolvida dentro das próximas duas semanas”.

Já a questão dos sentidos de trânsito, esclarece a mesma fonte, “está agendada para discussão na próxima reunião da comissão de trânsito da autarquia, que terá lugar em meados de Setembro”. “A proposta da Câmara é que o último quarteirão da Rua Jornal O Algarve passe a ter um único sentido de trânsito, na mesma direcção que o resto da rua, isto é, em direcção à Rua da Amendoeira”.

A questão por resolver passa por saber se no segmento final deste quarteirão, onde há capacidade de trânsito nos dois sentidos, a comissão de trânsito permitirá os dois sentidos de circulação automóvel ou optará por um sentido único. Em qualquer dos casos, uma vez definida a questão, os lugares de estacionamento serão devidamente pintados de forma a regular o parqueamento automóvel naquela zona.

Facebook Comments

Comentários no Facebook