Festival Verão Azul apresenta ‘Atlas’ e ‘Um Elefante na Sala’ em Loulé

Festival Verão Azul apresenta ‘Atlas’ e ‘Um Elefante na Sala’ em Loulé

437
PARTILHE
Em “Atlas” Ana Borralho e João Galante pretendem construir um atlas da organização social humana

No próximo fim de semana, o Cine-Teatro Louletano recebe duas iniciativas integradas no Festival Verão Azul, a performance “Atlas” e o documentário “Um Elefante na Sala”.

Na sexta-feira, 24 de Setembro, pelas 21.30 horas, cerca de uma centena de pessoas de várias profissões, percursos de vida e origens juntam-se em palco para apresentar “Atlas”.

Na mitologia grega, Atlas é aquele que foi condenado por Zeus a carregar o céu aos ombros. 

Nesta obra, Ana Borralho e João Galante pretendem construir um atlas da organização social humana, uma representação dos seres humanos através da sua função na sociedade em que se inserem.

- Pub -

Um dos motores desta peça são as ideias do artista plástico Joseph Beuys, A revolução somos nós e Cada homem um artista. Uma revolução silenciosa. Uma obra motivada pela crença de que a arte deve desempenhar um papel activo na sociedade. Unir a arte e a vida.

Já no domingo, dia 25, a partir das 15.30 horas, é a vez de Helena Inverno e Verónica Castro trazerem a esta sala de espectáculos o documentário “Um Elefante na Sala”, baseado na performance “Atlas”.

Habitantes de Lisboa e de Helsínquia revelam o poder da arte para a transformação pessoal e social. Em 2011, o Ministério da Cultura Português foi desmantelado pela segunda vez, coincidindo com a estreia nacional de “Atlas” uma performance de Ana Borralho & João Galante inspirada na filosofia do artista Joseph Beuys que afirma “Nós somos a revolução” e “Todos somos artistas”.

Esta performance, que mistura o pessoal, o político, o profissional e o artístico, convidou 100 pessoas de diferentes profissões a subirem ao palco para desempenharem o que pode ser chamado uma coreografia de resistência. A performance “Atlas” foi catapultada para os palcos internacionais onde os participantes de cada país, inevitavelmente, acrescentam a esta escultura social as suas nuances culturais.

“Um Elefante na Sala” explora as relações e as tensões entre arte e antropologia

Esta é uma coprodução do Atlas Lisboa (Maria Matos Teatro Municipal) e do Atlas Helsínquia (Zodiak – Center for New Dance).

Helena Inverno e Verónica Castro são uma dupla de cineastas premiadas com obras apresentadas em festivais, galerias e museus internacionais e na televisão portuguesa. O seu trabalho explora as relações e as tensões entre arte e antropologia. Inverno estudou Filme&Vídeo Arte na University of Arts London no Central Saint Martins College. Castro é doutoranda em Antropologia, Media e Performance na University of Manchester.

A performance “Atlas” tem a duração de 80 minutos, e um custo associado de 10 euros ou de 8 euros (neste caso para maiores de 65 anos e menores de 30 anos). O Cartão de Amigo do Cine-Teatro é aplicável a este evento.

Já o documentário “Um Elefante na Sala”, com a duração de 85 minutos, tem um preço único de 3 euros.

Facebook Comments

Comentários no Facebook