Rota do Petisco ‘com forte adesão’ vende cerca de 240 mil ementas...

Rota do Petisco ‘com forte adesão’ vende cerca de 240 mil ementas em três etapas

680
PARTILHE
Com um novo formato e um novo calendário, a “forte adesão do público” manteve-se

Num total de 250 estabelecimentos, foram servidas, durante as três etapas da Rota do Petisco 2016, perto de 240 mil rotas.

Dividida em três etapas, este ano, a Rota do Petisco chegou mais longe, marcando presença em seis concelhos algarvios. Logo em Maio, Lagos e Aljezur (29.742 mil rotas) acolheram pela primeira vez o evento. Seguiram-se os concelhos de Monchique, Silves e Lagoa (22.319 rotas) e a Rota chegou a lugares nunca antes petiscados. Em Setembro voltou às raízes e, durante quatro semanas, Portimão e Alvor (181.176 rotas) apresentaram o que de melhor têm para saborear. Comparando com o período análogo no ano passado, registou-se um crescimento de perto de 20%.

Traduzindo estes números em valores financeiros, o impacto económico directo (o valor das ementas vendidas) esteve na ordem dos 665 mil euros. Este valor é ainda mais significativo quando comparado com o investimento na concretização do evento, estimado em menos de 150 mil euros e maioritariamente suportado por trabalho voluntário. Os números que fizeram o evento foram divulgados no dia 28 de Outubro, na Casa Manuel Teixeira Gomes, em Portimão.

Com um novo formato e um novo calendário, a “forte adesão do público” manteve-se e o evento é já numa imagem de marca do que é petiscar no Algarve.

A Rota do Petisco esteve em seis concelhos algarvios

A Rota do Petisco voltou a ser solidária em 2016 e, este ano, contou com o apoio da Liberty Seguros. Mais de 21 mil euros foram angariados através da doação de 1 euro na aquisição do Passaporte da Rota, os quais irão reverter na sua totalidade para o apoio de 12 projectos sociais locais.

No dia 28 de Outubro, na Festa de Encerramento da Rota do Petisco, também se ficou a saber o que os participantes pensam sobre o evento. Através de dados recolhidos em inquéritos individuais, foi possível traçar o retrato do petiscador-tipo. A faixa etária predominante compreende-se entre os 26 e os 55 anos, tendo o público feminino a participação mais significativa. Portimão voltou a dominar enquanto concelho de residência da maioria dos petiscadores. Os pequenos grupos (entre 2 a 5 elementos) foram maioritários e uma fatia significativa dos petiscadores que responderam ao inquérito participaram nas três rotas. Questionados sobre a forma como tomaram conhecimento da Rota do Petisco, além do tradicional passa-palavra, os meios que se revelaram mais eficientes na divulgação do evento foram os cartazes, ‘mupies’ e ‘outdoors’ e a página de facebook da Rota.

O evento é já numa imagem de marca do que é petiscar no Algarve

A Festa de Encerramento do evento foi igualmente o momento em que se ficaram a conhecer os afortunados vencedores dos prémios da Rota, bem como quais foram os mais inspirados artistas e fotógrafos entre os petiscadores que participaram nas iniciativas “Rota da Ilustração Sagres” e “Rota das Imagem Sagres”, dinamizadas pelos nossos parceiros MODO e André Mota – Fotografia e Vídeo. Os melhores trabalhos estão patentes na exposição “A Minha Marca na Rota”, na Casa Manuel Teixeira Gomes durante o mês de Novembro.

Organizado pela associação Teia D’Impulsos, o evento voltou a alicerçar-se nas parcerias entre entidades públicas, associações de cidadãos e empresas. Tal como no ano passado, a Rota contou com o patrocínio oficial da cerveja Sagres.. No campo das parcerias, destaque para a colaboração da associação Alvorecer, responsável pela zona de Alvor, da ACRAL e dos Mercados de Portimão, na dinamização da Rota do Comércio e da Rota do Mercado, bem como o apoio prestado pelos municípios por onde a Rota passou.

Facebook Comments

Comentários no Facebook