Castro Marim volta a ser ‘Autarquia + Familiarmente Responsável’

Castro Marim volta a ser ‘Autarquia + Familiarmente Responsável’

Reconhecimento é fruto de um conjunto de iniciativas em várias áreas

216
PARTILHE
- Pub -
autarquia-mais-familiarmente-responsavel
Reconhecimento é fruto de um conjunto de iniciativas em várias áreas

O Município de Castro Marim foi distinguido, pela Associação Portuguesa das Famílias Numerosas, com o galardão de “Autarquia + Familiarmente Responsável”, que premeia as melhores políticas sociais e de apoio às famílias conduzidas, este ano, por 58 municípios portugueses.

Este é o quarto ano consecutivo que o município castromarinense conquista esta distinção, tendo-lhe sido, por isso, atribuída uma Bandeira com Palma, que assinala a continuidade das iniciativas e medidas sociais aqui têm sido desenvolvidas.

“O compromisso de continuar a ter o bem-estar e qualidade de vida das famílias como prioridade”, foi assumido pelo presidente da Câmara de Castro Marim, Francisco Amaral, que tem vindo a promover o desenvolvimento de mais auxílios e políticas sociais no município, tais como o primeiro programa municipal de combate à obesidade, já com mais de cem aderentes, e o programa de cessação tabágica, com uma elevada percentagem de sucesso, sendo já duzentos o número de ex-fumadores daí consequentes.

Este reconhecimento de “Autarquia + Familiarmente Responsável” é fruto de um conjunto de iniciativas em várias áreas, não só na de apoio directo às famílias, mas também no âmbito do urbanismo, educação e formação, transportes, saúde, cultura, desporto e habitação.

Autarquia apoia famílias em várias áreas

- Pub -

Entre um amplo conjunto de iniciativas, medidas e programas implementados no território castromarinense, nas mais diversas áreas, a autarquia destaca “o programa municipal de financiamento ou realização de obras de reabilitação em habitações das famílias mais carenciadas; a isenção do pagamento do projecto de obras e das taxas urbanísticas; a habitação social, destinada aos munícipes que não tenham habitação própria e não possuam bem e/ou rendimento que lhes permita a aquisição de uma, em regime livre ou em regime de arrendamento; a atribuição de bolsas de estudo para estudantes do ensino secundário e superior; a aquisição de manuais escolares aos alunos do 2º, 3º e 4º anos do 1º ciclo, residentes no concelho; os auxílios económicos atribuídos a alunos do ensino básico pertencentes a agregados familiares de fracos rendimentos, para aquisição de material escolar; o transporte escolar gratuito; a pioneira Unidade Móvel de Saúde, com atendimento médico. Atendendo ao flagelo do desemprego, a autarquia pode ainda apoiar as famílias mais carenciadas no pagamento de parte do arrendamento”.

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social, e acompanha, reconhece e divulga a tomada de medidas facilitadoras da vida às famílias que vivem nas autarquias portuguesas.