ARS Algarve criticada por falta de segurança em unidade de desabituação

ARS Algarve criticada por falta de segurança em unidade de desabituação

1271
PARTILHE
médico
“Exige-se mais segurança, de forma imediata”, sublinha o sindicato

A delegação de Faro do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses acusou esta sexta-feira a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve de negligência, ao não reforçar a segurança na Unidade de Desabituação do Algarve, no concelho de Olhão.

Segundo a agência Lusa, o sindicato refere em comunicado que reuniu com a ARS após uma sequência de agressões a duas enfermeiras e a um médico daquela unidade, e pediu o reforço do horário de segurança, que só existe durante a noite.

Na reunião, a ARS Algarve concordou com o pedido e, de acordo com o sindicato, assumiu o compromisso de ter a segurança reforçada a partir de 1 de Janeiro com mais oito horas diárias, o que não se verificou até ao momento.

“Exige-se mais segurança, de forma imediata”, sublinha o sindicato, apontando para dados recentes da Direcção-Geral da Saúde que indicam que as queixas contra profissionais de saúde estão a aumentar, tendo sido registadas 582 em 2015.

Comentários no Facebook