Movimento Algarve Livre de Petróleo indignado com autorização de furo em Aljezur

Movimento Algarve Livre de Petróleo indignado com autorização de furo em Aljezur

3496
PARTILHE
MALP pede aos manifestantes que levem um ‘cartão vermelho’ para apontar ao concessionário ENI/GALP (Foto: Luís Forra/Lusa)
Fotografia de arquivo (Foto: Luís Forra/Lusa)

O Movimento Algarve Livre de Petróleo (MALP) manifestou-se esta quinta-feira, dia 9, em frente à Câmara de Loulé contra a autorização do Governo para a prospecção e exploração de petróleo ao largo de Aljezur.

“Estamos indignados com o facto de o Governo de António Costa ter aprovado a exploração de petróleo a Sul do país, ao largo de Aljezur, no mar”, explicou, citado pela agência Lusa, o porta-voz do MALP, João Martins, que descreveu o processo de consulta pública sobre aquele furo de prospecção como “um verdadeiro embuste”.

João Martins disse que a decisão do Governo é incompreensível quando a consulta pública teve mais de 40 mil objecções, quatro participações positivas e todas as forças políticas e cívicas da região se têm pronunciado contra a exploração e prospecção de hidrocarbonetos na região, tanto em terra como no mar.

Este é também o motivo pelo qual o MALP exige a demissão do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

- Pub -

“Achamos mal que o ministro do Ambiente ache normal que se avance com a prospecção em território português”, comentou João Martins.

A iniciativa decorreu frente à autarquia louletana para tentar obter uma reacção sobre a autorização do Governo por parte do presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo (PS), que também é presidente da comissão permanente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve.

De acordo com a Lusa, o protesto contou com a participação de pouco mais de uma dezena de pessoas.

O MALP lançou ainda o apelo à participação no protesto marcado para 23 de Fevereiro, frente à Assembleia da República, dia em que a questão da prospecção e exploração do petróleo vai ser discutida.

O movimento está ainda a preparar um protesto para 18 de Março, frente à Escola de Hotelaria, em Faro, onde o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai participar no primeiro congresso da associação empresarial Algfuturo, conclui a Lusa.

Facebook Comments

Comentários no Facebook