Obra de Casimiro de Brito em exposição na Biblioteca de Loulé

Obra de Casimiro de Brito em exposição na Biblioteca de Loulé

787
PARTILHE

Casimiro de BritoDe 6 a 28 de Fevereiro, a Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen, em Loulé, acolhe a Exposição “Entre Mil Águas: vida literária de Casimiro de Brito”, dedicada a uma das grandes figuras da Cultura do Concelho de Loulé.

No âmbito do I Festival Literário de Querença foi realizada uma homenagem a Casimiro de Brito que incluiu a realização da exposição “Entre Mil Águas: vida literária de Casimiro de Brito”.

O trabalho inclui uma estrutura composta por sete painéis articulados e um vídeo referente ao autor. Para maximizar os efeitos da exposição, a fundação promoverá, em parceria com a biblioteca, uma sessão de apresentação da referida exposição dinamizada por Patrícia de Jesus Palma, e com a presença do poeta Casimiro de Brito, a ter lugar no dia 10 de Fevereiro, pelas 18.30 horas.

Poeta, romancista, contista e ensaísta, Casimiro de Brito nasceu em Loulé, a 14 de Janeiro de 1938, onde estudou (e depois em Londres) e viveu até 1968. Depois de uns anos na Alemanha passou a viver em Lisboa. Teve  várias profissões e acabou a sua carreira fora da Literatura como director de um banco.

- Pub -

Actualmente dedica-se exclusivamente à escrita.

A obra de Casimiro de Brito é composta por mais de 45 livros

Começou a publicar em 1957 (Poemas da Solidão Imperfeita) e, desde então, lançou mais de 40 títulos. Dirigiu várias revistas literárias, entre elas Cadernos do Meio-Dia (com António Ramos Rosa), os Cadernos Outubro/ Fevereiro/ Novembro (com Gastão Cruz) e Loreto 13 (órgão da Associação Portuguesa de Escritores).

Actualmente é responsável pela colaboração portuguesa na revista internacional “Serta”. Esteve ligado ao movimento Poesia 61, um dos mais importantes da poesia portuguesa do século XX.

Ganhou vários prémios literários, entre eles o Prémio Internacional Versilia, de Viareggio, para a “Melhor obra completa de poesia”, pela sua Ode & Ceia (1985), obra em que reuniu os seus primeiros dez livros de poesia.

Colabora nas mais prestigiadas revistas de poesia e tem obras suas incluídas em mais de 238 antologias, publicadas em vários países. Participou em inúmeros recitais, festivais de poesia, congressos de escritores, conferências, um pouco por todo o mundo.

Foi director de festivais internacionais de poesia de Lisboa, Porto Santo (Madeira) e Faro. Foi vice-presidente da Associação Portuguesa de Escritores, presidente da Association Européenne pour la Promotion de la Poésie, de Lovaina, e presidente do P.E.N. Clube Português.  Obras suas foram gravadas para a Library of the Congress, de Washington.

Foi agraciado pela Academia Brasileira de Filologia, do Rio de Janeiro, com a medalha Oskar Nobiling por serviços distintos no campo da literatura — entre outras distinções, nomeadamente, em Portugal, a Ordem do Infante.

Conselheiro da Associação Mundial de Haiku, de Tóquio, foi nomeado “Embaixador Mundial da Paz” (Genebra, 2006).

A Académie Mondiale de Poésie (da Fundação Martin Luther King), galardoou-o, em 2002, com o primeiro Prémio Internacional de Poesia Leopold Sédar Senghor, pela sua carreira literária. Ganhou o Prémio Europeu de Poesia Aleramo-Mario Luzi, para o “Melhor Livro de Poesia Estrangeiro”, publicado em Itália, em 2004, e o “Poeteka”, na Albânia.

Tem traduzido poesia de várias línguas, sobretudo do japonês, e foi traduzido para galego, espanhol, catalão, italiano, francês, corso, inglês, alemão, flamengo, holandês, sueco, polaco, esloveno, servo-croata, macedónio, grego, romeno, búlgaro, húngaro, albanês, russo, árabe, hebreu, chinês e japonês.

Facebook Comments

Comentários no Facebook