CDS-PP quer portagens na A22 discutidas novamente no Parlamento

CDS-PP quer portagens na A22 discutidas novamente no Parlamento

1032
PARTILHE
- Pub -
Teresa Caeiro
Teresa Caeiro é a primeira subscritora de um novo projecto de resolução sobre as portagens na A22, situação onde o seu partido desempenhou papel de relevo enquanto foi Governo

30 de Março é a data escolhida pelo CDS-PP para voltar a levar ao parlamento a discussão sobre as portagens na A22.

A intenção do partido liderado por Assunção Cristas prende-se com a apresentação pelo mesmo, tendo como primeira subscritora a deputada Teresa Caieiro, eleita pelo Algarve, do Projecto de Resolução que recomenda ao Governo que reverta, de imediato, o aumento no custo das portagens da A22, mantendo o seu congelamento até que as obras de requalificação da EN125 estejam concluídas.

O partido considera que “a introdução de portagens nas auto-estradas concebidas para serem gratuitas para o utilizador, pressupõe que exista, pelo menos, uma alternativa adequada e proporcionada”, mas para os populares “as obras em itinerários nacionais prolongam-se; as assimetrias persistem e agravam-se” e um exemplo “emblemático” da situação são “as imprescindíveis obras de requalificação da EN125, que, embora percorrendo o trajecto Barlavento – Sotavento algarvio, não pode ainda ser considerada como alternativa à A22, já que as demoradas obras de requalificação levam a cortes de trânsito”.

Para o CDS-PP “a população, permanente ou temporariamente, residente no Algarve não tem actualmente assegurada uma mobilidade, e sem custos directos, que seja condigna e em sintonia com os padrões exigíveis a um país desenvolvido. A obrigatoriedade de opção pela EN125, ou por qualquer uma das estradas municipais ou nacionais que com ela confinam, não é digna nem aceitável”.

Recorde-se que o CDS-PP tem pesadas responsabilidades enquanto Governo pela cobrança de portagens no Algarve
O mau tempo ìantecipouî a cobranÁa de portagens na A28, ao arrancar os pl·sticos que tapavam os placards indicativos dos preÁos a cobrar no pÛrtico de Neiva, em Viana do Castelo, 07 de outubro de 2010. ARM…NIO BELO/LUSA
Portagens sofreram aumentos este ano na A22

O partido, que integrou um Governo que tem pesadas responsabilidades na aplicação de portagens na A22 considera ainda que “a EN-125 não é, decididamente, uma alternativa aceitável à A22”.

- Pub -

Em abril de 2016, recorda o CDS-PP, “apresentámos um Projecto de Resolução que recomendava ao Governo a redução em pelo menos 50% o custo das portagens na A22 até à conclusão das obras da EN125. Esta iniciativa foi rejeitada em plenário pela actual maioria de esquerda”.

O CDS-PP entende, finalmente, que “tendo já sido recusada a proposta de suspensão de cobrança de portagens na A22 até que terminem as obras de recuperação da EN125, o Governo deve reverter, com efeitos imediatos, o aumento no custo dessas mesmas portagens”.