IPDJ classifica ‘Empreende Já’ como “um sucesso no Algarve”

IPDJ classifica ‘Empreende Já’ como “um sucesso no Algarve”

421
PARTILHE
- Pub -

Para a Direcção Regional do Instituto do Desporto e da Juventude (IPDJ) o Programa ‘Empreende Já’ está a ser “um sucesso no Algarve” e, refere a nota informativa enviada às redacções, “os jovens algarvios estão de parabéns! Foi enorme a adesão ao novo programa ‘Empreende Já'”.

A Direcção Regional do Algarve do IPDJ realizou 41 sessões de esclarecimento por todos os concelhos do Algarve e falou com mais de dois mil jovens, nesta primeira fase de candidaturas ao programa.

74 candidaturas colocam o programa no caminho do sucesso

Foram submetidas com sucesso 74 candidaturas, envolvendo 78 jovens provenientes de todos os concelhos da região que manifestaram intenção de desenvolver projectos centrados na economia social ou de criar empresas.

Em Abril, será publicada a lista provisória (no Portal da Juventude e na Plataforma Empreende Já), após o que os jovens terão 10 dias úteis para reclamar. Findo esse prazo é publicada a lista definitiva de seleccionados através dos mesmos meios de divulgação.

Apoio inclui bolsa mensal financeira e apoio técnico, além de formação
- Pub -

Os jovens cujas candidaturas forem aprovadas serão apoiados, durante seis meses, com uma bolsa de cerca de 700 euros e terão de frequentar 250 horas de formação em áreas transversais à acção empreendedora. Terão ainda apoio técnico personalizado (tutoria), com vista à estruturação e sustentabilidade do projecto.

Segunda fase do programa prevê apoio financeiro de 10 mil euros para ajudar os chamados ‘nem-nem’

Posteriormente, serão selecionados para a segunda fase do programa os melhores projectos que contarão com um apoio de dez mil euros.

Destinado a jovens em situação nem-nem (nem a estudar, nem a trabalhar, nem em formação), o Empreende Já “promove uma cultura empreendedora centrada na criatividade e na inovação, assegurando a capacitação de jovens para o desenvolvimento de projectos que visem a constituição de empresas ou de entidades da economia social. O programa visa, particularmente, a criação de postos de trabalho por e para jovens em situação nem-nem”, refere a nota de imprensa.

- Pub -