Universidades investigam arqueossítio romano da Boca do Rio

Universidades investigam arqueossítio romano da Boca do Rio

447
PARTILHE
- Pub -
Cientistas estão a fazer sondagens não invasivas, com o recurso a um cruzamento de diferentes métodos de prospecção geofísica
Cientistas estão a fazer sondagens não invasivas, com o recurso a um cruzamento de diferentes métodos de prospecção geofísica

Uma equipa de arqueólogos e de geólogos está a desenvolver investigação no arqueossítio romano da Boca do Rio, no concelho de Vila do Bispo, até final do mês de Março.

Trata-se de sondagens não invasivas, com o recurso a um cruzamento de diferentes métodos de prospecção geofísica, que permitem descortinar evidências de estruturas e de outras “anomalias” de origem humana ocultas no subsolo da área.

Os trabalhos são dirigidos pelo professor Felix Teichner, da Universidade de Marburg (Alemanha), contando ainda com o contributo de investigadores sedeados nas universidades alemãs de Colónia e de Aix-la-Chapelle.

Esta investigação enquadra-se num projecto coordenado pelo professor João Pedro Bernardes, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, com o apoio da Câmara de Vila do Bispo.

Resultados servirão de base a um projecto de investigação e de valorização deste sítio arqueológico
Resultados servirão de base a um projecto de investigação e de valorização deste sítio arqueológico

A par de precedentes campanhas de escavação conduzidas pelo referido investigador da UAlg, designadamente em 2016, os resultados destes trabalhos servirão de base a um projecto de investigação e de valorização deste sítio arqueológico que tem vindo a revelar uma contínua presença romana entre meados do século I e o século V.

A seu tempo, o desenvolvimento deste(s) projecto(s) será partilhado com a comunidade loco-regional, em diversas acções de arqueologia pública/social e ao longo de um programa comunicado nos habituais canais de divulgação da autarquia.